Tudo sobre A ÚLTIMA MÚSICA com Miley Cyrus


Notícias em geral

Chegando em breve em DVD e Blu-ray, conheça o primeiro longa metragem estrelando a atriz Miley Cyrus cujo papel não seja a conhecida Hannah Montana, que lhe deu grande fama em seus primeiros anos de carreira e segue desta forma até hoje.

.
Baseado no último livro do escritor best-seller Nicholas Sparks (Um Amor para Recordar, Diário de uma Paixão), A ÚLTIMA MÚSICA é ambientado em uma pequena cidade praiana do sul, onde um pai afastado (GREG KINNEAR) tem a chance de passar o verão com sua relutante filha adolescente (MILEY CYRUS), que preferia estar em casa, em Nova York. Ele tenta se reaproximar dela através da única coisa que eles têm em comum − a música − em uma história sobre família, amizade, segredos e salvação, e também sobre primeiros amores e segundas chances.

.

.

Observações:

  • Este filme será laçado pela Touchstone Pictures, empresa do grupo Walt Disney Company, a Touchstone lançou, por exemplo, “O Estranho Mundo de Jack” que posteriormente tornou-se um título da Walt Disney Pictures.
  • THE LAST SONG é o 15o livro publicado pelo escritor best-seller Nicholas Sparks. Entre seus outros livros estão: The Notebook, Message in a Bottle e Nights in Rodanthe. Embora muitos de seus livros tenham sido adaptados para o cinema, A ÚLTIMA MÚSICA é o primeiro a chegar aos cinemas no primeiro ano de publicação.

“Há muitos temas em A Última Música (The Last Song). Tem confiança, perdão, família – se você conseguir abordar esses temas da forma certa, eles certamente tocarão os espectadores, porque eles irão identificá-los em suas próprias vidas.”

~ Nicholas Sparks


Baseado no mais recente best-seller de Nicholas Sparks (Um Amor para Recordar, Diário de uma Paixão), A Última Música (The Last Song) é ambientado em uma cidadezinha litorânea do sul, onde um pai afastado (GREG KINNEAR) tem a oportunidade de passar o verão com sua relutante filha adolescente (MILEY CYRUS), que preferia ter ficado em casa, em Nova York. Ele tenta restabelecer o vínculo com ela através da única coisa que os dois têm em comum − a música −, em uma história sobre família, amizade, segredos e redenção, e também sobre primeiros amores e segundas chances.

A Última Música (The Last Song) é o 15˚. livro de Sparks publicado. Embora vários de seus livros anteriores terem sido adaptados para o cinema, A Última Música (The Last Song) é o primeiro a chegar à telona no primeiro ano de publicação. É também o primeiro que ele escreveu o roteiro.

O filme estrela com MILEY CYRUS (Hannah Montana) como Veronica “Ronnie” Miller, Greg Kinnear (Pequena Miss Sunshine, Invisível, Uma Mãe para Meu Bebê) como Steve Miller, Kelly Preston (Jerry Maguire – A Grande Virada, Viciados no Amor, O Gato) como Kim Miller, e o novato Liam Hemsworth (Presságio) como Will Blakelee. O elenco também inclui Bobby Coleman (Amigas com Dinheiro, Ensinando a Viver), Hallock Beals (Cartas de Ivo Jima), Nick Lashaway (O Virgem de 40 anos), Carly Chaikin (The Consultants), Nick Searcy (A Verdade Nua e Crua), e Kate Vernon (Battlestar Galactica: The Plan).

Dirigido por Julie Anne Robinson (Weeds, Big Love, o piloto de Viva Blackpool, da BBC) em seu filme de estreia, A Última Música (The Last Song) é produzido por Jennifer Gibgot (17 Outra Vez, Ela Dança, Eu Danço) e Adam Shankman (17 Outra Vez, Ela Dança, Eu Danço), e o produtor executivo é Tish Cyrus. Dara Weintraub (Segurando as Pontas, Superbad – É Hoje!), é a coprodutora. O roteiro é escrito por Nicholas Sparks (Diário de uma Paixão, Noites de Tormentas) & Jeff Van Wie. O diretor de fotografia é John Lindley (Legião, Imagine Só, Pleasantville – A Vida em Preto e Branco, Mensagem Para Você) e a montadora é Nancy Richardson (Twilight, Ela Dança, Eu Danço). Aaron Zigman (Verdade Nua e Crua, Uma Prova de Amor) é o compositor. O desenhista de produção é Nelson Coates (A Proposta, Voltando a Viver – Antwone Fisher, O Júri) e os figurinos são de Louise Frogley (Homens que Encaravam Cabras, Quantum of Solace, Boa Noite e Boa Sorte, Syriana).

Da Touchstone Pictures, A Última Música (The Last Song) foi classificado nos EUA como PG e chegará aos cinemas em 14 de Maio de 2010.

Um conto sobre Família, amizade, segredos e redenção

Escritor Best-Seller Nicholas Sparks Alcança Tom Elevado em Mais Recente Empreitada

O escritor Nicholas Sparks se tornou um superastro literário em 1996, quando um fantástico boca a boca transformou seu livro The Notebook, em um fenômeno editorial. As histórias edificantes de Sparks sobre vida e amor de pessoas comuns conquistaram um público em todo o mundo e seu último livro The Last Song, não é exceção, estreando em primeiro lugar nas listas de best-sellers do New York Times e do USA Today.

Seus livros sempre profundos, às vezes engraçados e sempre tocantes, se tornaram base de uma poderosa franquia cinematográfica. Suas histórias agridoces inspiraram sucessos de bilheterias e de crítica, tais como Mensagem de Amor (Message in a Bottle), estrelado por Kevin Costner e Robin Wright Penn; Um Amor para Recordar (A Walk to Remember), estrelado por Mandy Moore; Diário de uma Paixão (The Notebook), estrelado por Ryan Gosling e Rachel McAdams; Noites de Tormenta (Nights in Rodanthe), estrelado por Richard Gere e Diane Lane; e, mais recentemente, Querido John (Dear John), estrelado por Amanda Seyfried e Channing Tatum. Uma adaptação cinematográfica de seu livro The Lucky One está com lançamento marcado para 2011.

Quando A Última Música (The Last Song) chegar aos cinemas, marcará o início de um novo capítulo na carreira de Sparks. Será o 15° livro publicado pelo autor e também o seu primeiro roteiro.

No centro da história de A Última Música (The Last Song) está a jornada pungente de um pai e uma filha que perderam contato e lutam para encontrar um meio de se reconectar. Ao mesmo tempo, explora o território desconhecido do amor jovem, quando a emocionalmente fechada Ronnie começa a abrir a guarda para um rapaz que ela conhece durante as férias de verão.

Greg Kinnear, que interpreta Steve Miller, o pai de Ronnie, diz que Sparks lida de frente com a alegria e os desafios de manter os laços familiares. “Eu li o roteiro e fiquei tocado por ele”, afirma. “Nicholas Sparks tem uma sensibilidade incrível no que se refere a família. Ele escreveu uma história interessante sobre pessoas que, a princípio, parecem ter pouca chance de se conectar. No final, nem tudo se encaixa perfeitamente – o que é muito parecido com a vida real.”

Como seu trabalho anterior, A Última Música (The Last Song) é uma história de amor, conta Sparks, “mas não é um romance”, avisa ele. “Este não é um filme de sonho e fantasia. É sobre amor verdadeiro em vários níveis – o amor entre pais e filhos, o amor jovem que floresce pela primeira vez, o carinho e a ternura madura entre adultos.”

Para a diretora Julie Anne Robinson, que já recebeu três indicações ao BAFTA e ao Globo de Ouro® por seu trabalho na televisão britânica, a simples história do filme reflete o profundo entendimento do autor das emoções humanas. “Me faz lembrar de filmes clássicos como Esplendor na Relva (Splendor in the Grass)”, diz Robinson. “A Última Música (The Last Song) fala de perdão e redenção, fala de pessoas que se separaram e se uniram de novo e fala sobre amor. Fala da fragilidade do relacionamento humano e também de como esses elos, uma vez rompidos, podem ser emendados.”

Os temas edificantes do filme refletem a visão do autor com relação à vida. ‘“Há muitos temas em A Última Música (The Last Song)”, diz Sparks. “Tem confiança, perdão, família – se você conseguir abordar esses temas da forma certa, eles certamente tocarão os espectadores, porque eles irão identificá-los em suas próprias vidas.”

Sparks relaciona a origem de A Última Música (The Last Song) a uma conversa que teve com a produtora Jennifer Gibgot, que estava buscando um projeto que permitisse que a estrela adolescente Miley Cyrus pudesse mostrar seu talento dramático. “Eu tinha acabado de escrever The Lucky One”, lembra ele. “E estava tomando a decisão sobre o que escreveria em seguida. Eu tento variar as idades dos personagens e os seus dilemas para manter o trabalho novo e interessante para mim, e também para os leitores. Recentemente, eu havia escrito dois livros com personagens que tinham entre 20 e 50 anos, então fiquei tentado a escrever sobre um personagem adolescente, o que não havia feito desde Um Amor para Recordar (A Walk to Remember)”.

Quando ele começou a formular seu próximo passo, Gibgot ligou. “Ela perguntou se eu tinha alguma coisa que Miley Cyrus pudesse gostar”, conta Sparks. “Bem, eu não tenho nada pronto. Não sou tão prolífico assim. Mas ela me contou que Miley adorou Um Amor para Recordar (A Walk to Remember), então eu me concentrei e levei cinco ou seis semanas para desenvolver esta história.”

Sparks apresentou-a aos produtores como uma história divertida, porém comovente, entre pai e filha. “Tanto o roteiro como o livro foram escritos com Miley em mente”, diz ele. “Mas eu escrevo para que seja uma grande história, então eu tive que equilibrar essas coisas. O produto final, com certeza, não é um filme de Hannah Montana. É uma peça integral com um grande elenco que encantará públicos de todas as idades. Ronnie é um personagem realmente cativante que passa por coisas pelas quais muitos adolescentes passam. Ela é forçada a crescer e amadurecer ao longo do filme.”

Cyrus ficou empolgada de fazer seu primeiro papel dramático em um filme de Nicholas Sparks. Ela disse que Um Amor para se Recordar (A Walk to Remember) e Diário de uma Paixão (The Notebook) teve um grande impacto em sua vida. “Seu trabalho tem ótimas mensagens positivas”, observa a jovem atriz. “Para mim, o melhor é que os jovens adoram, mas os temas também são maduros o bastante para atrair os adultos. É incomum encontrar esse tipo de equilíbrio.”

Sparks trabalhou com o amigo de longa data, Jeff Van Wie, escrevendo o roteiro. “Nós nos conhecemos desde o colegial – há mais de 25 anos”, diz Sparks. “Jeff é muito bem-sucedido no mundo dos negócios, mas sempre sonhou escrever um roteiro. Quando Jennifer perguntou se eu gostaria de fazer um roteiro, eu pensei que Jeff e eu poderíamos fazer isso juntos. Nós já tínhamos escrito antes, então sabíamos que podíamos trabalhar bem juntos. Embora ele more noroeste e eu no sul, nós tínhamos telefone, e-mail e falávamos interminavelmente toda noite.”

O resultado, de acordo com Kelly Preston, que interpreta Kim, a mãe de Ronnie é “emocionante e otimista em relação à vida ao mesmo tempo”. “O trabalho de Nick tem muita profundidade”, continua a atriz. “Ele escreve sobre coisas simples que acontecem na vida real, sobre encontrar a beleza em pequenos momentos. Nicholas tem uma maneira bonita de ver a condição humana que permite que ele escreva com a cabeça de um garoto de 17 anos e também com a de qualquer adulto.”

ENCONTRANDO A DIREÇÃO CERTA

Julie Anne Robinson Determina o Tom

Para o produtor Adam Shankman, o privilégio de traduzir os livros de Nicholas Sparks para o cinema vem com um grande senso de responsabilidade. “Nós estamos interpretando seu trabalho e ele não tem nada além de ótimos livros mega bem-sucedidos”, diz Shankman. “Esta é uma excelente história emocional que nos faz lembrar que existe algo maior do que nós mesmos. Nos faz lembrar que o amor vem de muitas formas diferentes, que o perdão é importante para nosso crescimento pessoal. Eu tenho uma história com Nick, depois de dirigir Um Amor para se Recordar (A Walk to Remember), que foi uma experiência muito boa para todos nós, então me sinto responsável.”

Assim que Sparks começou a escrever a história, o filme começou a entrar em fase de preparação rapidamente e era crítico encontrar um diretor que pudesse lidar com a complexidade emocional e logística da história. “Tudo se encaixou bem rápido”, conta Jennifer Gibgot, “graças ao entusiasmo e à animação de Miley e do estúdio em fazer o filme. Nick resolveu que tinha que escrever o roteiro antes do livro e nós começamos a procurar um diretor enquanto ele escrevia o livro.”

Os produtores escolheram Julie Anne Robinson, uma consagrada diretora da Grã-Bretanha.  “Julie Anne havia feito um filme para a BBC chamado Come Down the Mountain”, conta Gibgot. “Era sobre um jovem que tinha um irmão com síndrome de Down. Ele conseguiu desempenhos inacreditáveis de um grupo de jovens. Nós sabíamos que Julie Anne poderia dar apoio e direção a todos os atores e ajudar Miley na transição de papéis cômicos para um desempenho dramático.

“Sua paixão pelos atores era óbvia no set”, continua Gibgot. “Ela come, bebe e dorme os desempenhos deles. Ela também era muito específica e detalhista quanto ao que precisava do elenco em cada cena.”

Shankman, que descreve Robinson como uma “diretora de ator”, observa que ela aprendeu com alguns dos mais aclamados cineastas de nosso tempo, incluindo Stephen Daldry, que guiou Kate Winslet para um Oscar® em O Leitor (The Reader), e Sam Mendes, que fez o mesmo por Kevin Spacey em Beleza Americana (American Beauty). “Ela tem uma ótima energia. Quando ela assiste, ela faz e arrasa, como se fosse interpretar com o ator.”

Cada ator é um artista único aos olhos de Robinson, e ela adapta seu estilo de direção de acordo, assim que descobre como cada um trabalha melhor. “Com Greg Kinnear, eu tive muitas longas conversas com ele antes”, explica ela. “Nós falamos muito sobre o roteiro e o personagem porque ele é um ator muito cerebral. Mas eu nunca ensaiaria com atores jovens mesmo que tivesse todo o tempo do mundo. Eles podem ficar aborrecidos e cansados e a magia pode se perder muito rápido. Eu acho que o que eles fazem, de forma instintiva é perfeito.”

Robinson gosta de trabalhar bem próxima de seus atores, muitas vezes deixando de lado os monitores no set. “Eu preciso ver o que há nos rostos dos atores”, diz Robinson. “Os monitores tem muitos chuviscos e sombras, eu não consigo ver os olhos deles para ver o que estão transmitindo em um nível bem básico. Quando eu sinto que os atores estão incorporando as emoções e realmente indo fundo, isso me empolga. Eu fico eletrizada se não vejo artifícios. Também se torna um processo mais rápido porque se os atores têm uma pergunta ou se eu tenho uma observação, eu estou bem aqui.”

A história do filme é, ao mesmo tempo, universal e intensamente pessoal para Robinson. “Todos que eu falei sobre A Última Música (The Last Song) se identificam com algum aspecto da história”, conta ela. “Minha resposta ao material foi muito influenciada pelo fato de eu ter filhos. Você vê pais cometendo erros neste filme. Quando você é filho, você espera que seus pais sejam perfeitos e quando você é pai ou mãe, entende que é só uma pessoa e que comete erros. Essa parte da história realmente me toca e eu acho que todo mundo entenderá e se identificará com o tema.”

O filme, diz Robinson, é uma materialização da visão que ela apresentou nas reuniões iniciais com os produtores. “Foi a experiência mais criativa da minha vida. E eu já tive muitas experiências criativas de que realmente gostei. As pessoas envolvidas neste processo tornaram tudo maravilhosamente único. Elas me deram liberdade, o que foi ótimo.”

FAZENDO A ÚLTIMA MÚSICA CANTAR

Miley Cyrus Faz Seu Primeiro Desempenho Dramático Enquanto Greg Kinnear Deixa Sua Marca

Navegar pelas nuances de altos e baixos emocionais do roteiro de Nicholas Sparks foi um desafio mesmo para os atores mais experientes do elenco. “É uma história simples, mas os atores têm que passar por enormes jornadas emocionais”, afirma Robinson. “Nick Sparks tem um profundo entendimento das emoções humanas. Ele colocou todas lá para eles através da ampla gama de experiências emocionais na tela.”

Robinson não conhecia sua protagonista quando assinou o contrato para dirigir A Última Música (The Last Song), mas logo foi conquistada pelo talento natural e carisma de Cyrus. “Ela tem uma incrível qualidade de estrela”, afirma a diretora. “Ela simplesmente brilha e, quando anda pelo set, todos veem isso. Às vezes, eu não acredito que ela tem 16 anos. Ela tem uma abrangência tremenda.”

O entusiasmo e o comprometimento de Cyrus impressionaram todos no set. “Miley é um sonho”, diz a produtora Jennifer Gibgot. “Ela é uma profissional consumada, você esquece o quanto ela é jovem. Sua dedicação, energia e gentileza são extraordinárias. Miley sempre manteve o ambiente do set leve, mas estava muito determinada a estar presente como atriz. Com tantas coisas em foco, incluindo uma turnê, seu show de música e de TV, o fato de estar tão animada e focada neste filme foi realmente impressionante.”

A jovem atriz se diz agradecida por ter tido tanto apoio de Robinson durante uma filmagem tão desafiante. “Se você não tiver de fato um elo com o diretor, eu acho que isso passa para tela”, diz Cyrus. “Julie Anne era muito divertida. Ela fez de tudo para criar um elo. Era importante para mim que ela confiasse mim.”

Cyrus diz que o que seu personagem enfrenta no filme soou verdadeiro para ela. “Quando seus pais se separaram, ela fez algumas escolhas erradas. Mas começou a encontrar o caminho para ser uma pessoa mais feliz através da confiança, do amor e da amizade. Esses são os ingredientes mais importantes para a felicidade e são coisas que, às vezes, não percebemos.

“Eu adoro música e adoro entretenimento”, acrescente a estrela adolescente. “E fico muito triste ao pensar em não fazer isso. Então fico triste que alguém com o talento que Ronnie tem pare deliberadamente de fazer isso. Viver sem música na minha vida seria como viver sem ar para respirar, e para Ronnie, é a mesma coisa. Ela abandona tudo para provar seu ponto de vista ao pai mas, na verdade, está enganando a si mesma.”

O papel exigia que Cyrus expandisse seus horizontes musicais e aprendesse piano, o que ela afirma ter feito rapidamente. “Talvez tenha sido fácil porque eu já tocava violão”, diz Cyrus, que pensa em continuar a estudar piano. “Eu aprendi não só a tocar uma música no piano como também a tocar como uma pianista clássica; o modo de sentar, o modo de olhar quando se está ao piano, a postura, os dedos. É muito mais disciplina do que apenas tocar casualmente. A experiência de aprendizado é uma parte do meu trabalho que eu gosto muito. Tantas pessoas sonham aprender algo assim e eu estou tendo esta experiência enquanto faço um filme.”

A atriz espera que este seja o primeiro de uma série de papéis que permita a ela se expandir e crescer. “Eu acho muito importante buscar papéis que sejam desafiantes”, diz Cyrus. “Este veio num momento louco. Eu tinha uma turnê, estava trabalhando em um show, achei que seria impossível encaixar esse trabalho, mas tudo deu certo. Foi perfeito, porque é disso que se trata o filme, sobre coisas que se encaixam tão lindamente contra todas as probabilidades.”

Durante a produção, muitos integrantes do elenco se tornaram amigos. Cyrus e Greg Kinnear, que interpreta seu pai, encontram um elo instantâneo. “Greg é muito parecido com meu pai de verdade”, afirma Cyrus. “Ele é muito suave, mas muito engraçado, e todos parecem se apaixonar por ele. Ele era como uma figura paterna para mim enquanto eu estava em Savannah, porque meu pai não estava na Georgia comigo. Nós nos sentávamos na varanda e conversávamos sobre o que estava acontecendo. Tivemos um ótimo relacionamento e acho que isso passou para a tela.”

Kinnear ficou impressionado com o trabalho de sua jovem coestrela no filme. “Este papel exigiu muito de Miley”, diz ele. “É cheio de emoções complexas. Ela se saiu muito bem. Miley tem muita emoção e é uma verdadeira profissional. Eu admiro isso. Ela leva a sério, mas ao mesmo tempo, mantém o ambiente muito divertido e cheio de energia. É uma garota de 16 anos impressionante.”

O ator, que foi indicado ao Oscar® de Melhor Ator Coadjuvante pelo desempenho em Melhor É Impossível (As Good as It Gets)”, interpreta Steve Miller, um pianista de concerto que deixa a família para se concentrar numa carreira que não progride da forma como ele esperava. Steve agora tenta se reconectar com seus dois filhos antes de seja tarde demais. “Steve quer se reunir com os filhos e conhecê-los de novo”, conta Kinnear. “Há muitas coisas que não se sabe no início do filme e que são reveladas ao longo do verão.”

O toque leve do ator era essencial para manter o personagem firme na realidade, diz os cineastas. “O desempenho de Greg em Pequena Miss Sunshine (Little Miss Sunshine) é um dos meus favoritos”, afirma Gibgot. “Ele emprestou um humor a um personagem bem tenso de uma forma muito bela e natural. Steve é, de certa forma, um pai torturado e Ronnie não facilita as coisas para ele. Mas Greg tem a habilidade de conferir leveza a personagens bem sérios.”

O comprometimento que teve com o papel ficou com Robinson. “Greg é tão meticuloso”, diz ela. “Eu já trabalhei com muitos atores excelentes e Greg é, com certeza, um deles. Ele se preocupa muito com todos os aspectos do personagem, ele me ligava no fim de semana com perguntas sobre uma cena. Ele era Steve o dia todo, todo dia.”

A ruptura da dinâmica da família Miller tocou Kinnear. “Eu fiquei comovido pela dificuldade de se fazer conexões permanentes em uma família que sofreu uma fissura sísmica em sua infraestrutura”, diz Kinnear. “Os pais estão separados por razões que não exploramos, mas parece que nenhum deles foi necessariamente culpado. Mas, como sempre, as crianças sofreram o impacto e neste caso, a irmã mais velha, Ronnie, está naquele estágio vulnerável em que raiva e hostilidade podem ser verdadeiros escapes. Ela está muito zangada e não vai aceitar mais nada. Meu personagem tenta consertar isso e ressuscitar um senso de família.”

Mas Steve tem um segredo que guarda de sua família. “Ele está tentando protegê-los, mas até ter essa informação, não há como esta família ir em frente”, conta Kinnear. “Eu acho que Nicholas Sparks tem um modo maravilhoso de lidar com segredos. Foi muito eficiente.”

Kinnear, que é pai de três filhas, é extremamente sensível aos desafios que cercam esse território. “O relacionamento pai e filha é particularmente complicado”, diz ele. “O relacionamento de Steve com a filha é tenso, para dizer o mínimo, mas ele tenta. Ele rema conta a maré, porque ela é agressiva e amarga e tem muitas ideias preconcebidas sobre seu pai. Algumas não são totalmente verdadeiras, e isso será revelado.”

Além disso, Steve é atormentado pela crença de que é o responsável pela destruição de uma igreja local. Como penitência, ele está reconstruindo o vitrô da janela da igreja. Kinnear estudou com um artesão local para aprender como fazer vitrôs. “Foi incrível aprender isso”, conta Kinnear. “Você pensa em vitrô e se pergunta: como é que eles conseguem fazer isso? Parece uma ciência louca que ninguém jamais conseguiria fazer. Mas tem uma simplicidade que é fantástica. Você precisa saber exatamente o que está fazendo e isso leva anos, esforço e habilidade para conseguir, mas eu acabei sentindo que é uma montanha possível de ser escalada.”

A preparação de Kinnear para o papel também incluiu aulas de piano. “Eu diria que antes eu conseguia enganar no piano”, declara Kinnear. “Mas quando você treina para ser concertista, as habilidades fajutas são as primeiras que tem que sumir. Eu tive que começar de novo e trabalhar com um instrutor. Eu acho que estou oficialmente amarrado nas teclas agora.”

Suas habilidades musicais recém aperfeiçoadas permitiram que ele divertisse a equipe no set com seus covers de músicas clássicas Journey. “Era o meu modo de motivar a equipe”, diz ele. “Eu só precisava ameaçar que ia tocar e eles iam trabalhar”.

Como Cyrus, Liam Hemsworth está entrando em uma nova fase de sua carreira com A Última Música (The Last Song). Um astro em sua terra natal, a Austrália, Hemsworth está começando outra vez como ator em Los Angeles. Conseguir o papel de Will Blakelee como seu primeiro grande trabalho em um filme americano foi um grande salto para o jovem ator.

“Liam tem um carisma fantástico na tela e tem uma energia ótima”, diz a diretora Julie Anne Robinson. “Ele me faz lembrar um daqueles astros de cinema dos velhos tempos, como Gary Cooper. Ele tem uma natureza lacônica e é muito tranquilo diante da câmera, mas há muitas coisas por trás de seus olhos.”

Como muitos personagens de Sparks, Will tem seus próprios segredos que representam um fardo para ele. “Ele é charmoso e carismático por fora”, diz Hemsworth. “Mas seus segredos estão atrapalhando. Ele age como um cara popular e alegre quando, na realidade, ele não é nada feliz. Quando ele conhece Ronnie, ele encontra alguém igualmente confuso que perdeu algo importante. Conforme o verão passa, eles se ajudam a crescer como pessoas. Ela não facilita para ele mas, no final, ela vale a pena.”

Seu papel em A Última Música (The Last Song) exigiu que Hemsworth adquirisse várias novas habilidades rapidamente. Uma delas foi mergulhar. O jovem ator teve que tirar o certificado de mergulhador antes das filmagens. Depois de crescer surfando e fazendo mergulho livre na Austrália, Hemsworth certamente não tinha medo de água. Mas o rigoroso programa de treinamento foi mais duro do que ele esperava. “Nós tivemos três dias para tirar o certificado e passávamos todo dia em um tanque de 6 metros de profundidade na Carolina do Norte, quase o dia todo. Ao mesmo tempo, ficávamos duas ou três horas numa sala de aula todo dia aprendendo as regras. Foi mais difícil do que eu pensei que seria. Parece fácil – sabe, só colocar a máscara e entrar na água. Mas tem muito mais do que isso.”

Além disso, Hemsworth, que nunca tinha jogado vôlei, teve que aprender o suficiente para convencer como um jogador com potencial pra competir por uma faculdade. Quando fiz teste me perguntaram se eu sabia jogar vôlei e eu disse: “Não, mas vou aprender”. O técnico de vôlei era um ótimo jogador, eu acho que jogou nas Olimpíadas. Nós jogamos duas vezes por semana, por duas horas e aquelas foram as duas horas mais longas da minha vida. Hallock e eu basicamente não falávamos nada durante aquelas horas, a não ser epa, certo, ah, uh, opa, e o técnico só ficava falando o quanto a gente jogava mal. Era cansativo!”

Kelly Preston, que interpreta Kim, a mãe de Ronnie e Jonah, é fã de Nicholas Sparks e ficou encantada com os temas abordados pelo autor. “É uma história simples e apaixonante”, diz Preston. “E tão bem escrita. Eu adoro Nicholas Sparks como escritor. Seus livros e filmes são muito verdadeiros. Eu acho que ele deve ter uma vida muito rica, porque ele é muito antenado com o modo como as pessoas lidam umas com as outras e resolvem as coisas na vida. Eu espero que este filme traga alguns momentos felizes para as pessoas – e, quem sabe, até algumas lágrimas.

“O trabalho de Nick tem muita profundidade”, continua Preston. “Ele escreve sobre coisas simples que acontecem na vida real, sobre encontrar a beleza em pequenos momentos. Nicholas tem uma maneira bonita de ver a condição humana, que permite que ele escreva com a cabeça de um garoto de 17 anos e também como qualquer adulto.”

Preston diz que teve uma motivação pessoal para aceitar o papel. “Miley me pediu para fazer o papel de sua mãe no filme – como eu podia negar? Eu conheço Miley há alguns anos e a adoro. Ela é inteligente, engraçada, muito talentosa e também é tão boa atriz quanto é cantora e artista. Ela tem muita profundidade. É uma honra interpretar sua mãe.”

Preston também tem elogios para o restante de sua família na tela, Greg Kinnear e Bobby Coleman. “Greg é um ator natural,” observa ela. “Nós tivemos um relacionamento muito tranquilo. Foi fácil fazer cenas com ele porque ele é um ator maravilhoso. E Bobby Coleman é uma gracinha. Ele é cheio de energia. Eu fiz uma cena muito terna com ele, em que ele dá adeus ao pai, e foi comovente. Ele é jovem, mas leva jeito!”

Coleman, que tem 12 anos, interpreta Jonah, o irmão de Ronnie. “Acho que fizemos centenas de testes com meninos antes de achar Bobby”, diz Robinson. “Eu ficava dizendo, ‘eu não quero uma criança de Hollywood.’ Eu queria alguém diferente, charmoso, mas não de uma maneira óbvia. Você precisa cuidar de Jonah como Ronnie faz. Bobby é um menino adorável e uma pessoa única e isso se transmite na tela. Ele foi o único que fez o teste que nos fez rir e também nos comoveu. Isso é algo que todos os atores tinham que ser capazes de fazer.”

O jovem fala sobre seu papel com a autoconfiança de um ator muito mais velho. “O que eu realmente gostei neste filme é o modo como Nicholas Sparks fala sobre como você precisa de confiança, amor e família”, diz ele. “No início do filme, esse foi o problema com a nossa família. Nós não tínhamos muita confiança uns nos outros para acreditar que não estávamos tentando nos magoar. Nós não tínhamos amor e não nos chamávamos de amigos.

“Jonah é um menino feliz e alegre que vive com alegria”, acrescenta ele. “Ele gosta de falar com seu pai e contar a ele sobre as ideias que teve, gosta de brincar e soltar pipa.”

Uma das coisas que Coleman mais gosta ao fazer um filme é aprender o que ele chama de “novas coisas incríveis”. Já que Jonah está ajudando seu pai com o projeto do vitrô, Coleman também teve que aprender o ofício.

“Eu sempre imaginei um grande forno ou um grande maçarico colando tudo”, diz ele. “Mas você começa com um pedaço de papel. Faz o desenho que quer depois pega o vidro que quer usar, corta e faz exatamente como se risca um papel. Você corta o vidro com uma lâmina e faz uma pequena ranhura. Então é só dar um tapinha e ele parte ao meio. Você forma peças de quebra-cabeça de vidro e molda tiras de chumbo ao redor das peças para encaixar umas nas outras. Aí solda as junções das tiras de chumbo e está pronto. Você tem um vitrô!”

Como os integrantes mais jovens do elenco, Coleman e Cyrus fizeram várias coisas dentro e fora do set juntos. “Geralmente eu sou a mais jovem do set”, diz Cyrus. “Foi bom ser a irmã mais velha uma vez.”

Coleman acredita que a diversão que tiveram fora do set os tornaram mais próximos quando estavam nos personagens. “Eu com certeza criei um elo irmão-e-irmã, porque quando estamos fazendo bagunça, estamos fazendo coisas que irmãos fariam.”

“Toda a experiência foi incrível”, resume Coleman. “Eu adorei Savannah. Não é como a Califórnia onde a flor do estado é o concreto. Em Savannah, há plantas, árvores, peixes e crocodilos. É muito bonito.”

O filme apresenta alguns outros jovens atores promissores como os amigos e “não tão amigos” que cercam Will e Ronnie. Hallock Beals interpreta Scott Thomas, o melhor amigo de Will e parceiro de vôlei. “Eu devo ter jogado umas duas vezes na praia quando criança”, diz Beals. “Quando eles me perguntaram no teste se eu jogava vôlei, eu disse que cresci jogando. É claro que descobriram a verdade quando fizemos o primeiro treino prático.”

Por sorte, Beals tinha Hemsworth ao seu lado enquanto aprendia. “Eu não podia pedir um parceiro melhor para passar por isso do que Liam”, diz ele. “Nós malhamos na academia e jogamos vôlei todo dia.”

Nick Lashaway conseguiu o papel de Marcus, o jovem estilo “bad boy” do bairro, um tipo arrogante que gosta de se arriscar e tem um hobby diferente e único. “Ele comanda as ondas de Tybee e consegue o que quer e quando quer”, diz Lashaway. “Ele é meio vagabundo. Provavelmente bebe demais, se mete em confusão e não se importa. Quando Ronnie chega a cidade, ele a quer, mas ela não se interessa. E ele não gosta disso.”

Quando Nicholas Sparks criou o personagem, ele queria que Marcus tivesse um traço característico. Depois de ver vários vídeos incríveis de pessoas fazendo malabarismo com bolas de fogo no YouTube, Sparks decidiu usar o esporte em seu roteiro – o que significou que Lashaway teve que aprender a fazer isso.

“Primeiro, eu tive que aprender malabares”, explica Lashaway. “Eu treinei em Los Angeles durante um ou dois meses antes da produção. Depois usamos bolas de fogo especiais – elas tinham um pouco de fluido de isqueiro e a chama era manejável. Nós usamos luvas encharcadas com retardante de fogo. Eu, com certeza, me senti preparado mas à noite em que finalmente fizemos a cena, as chamas estavam bem altas. As bolas estavam completamente envoltas e difíceis de ver. Eu queria fazer todos os movimentos legais com elas, mas tudo que eu consegui fazer foi pegá-las!”

Encorajando as atitudes de Marcus e seu mau comportamento está sua namorada Blaze, interpretada por Carly Chaikin. Quando Ronnie chega em Tybee, Blaze acha que encontrou sua alma gêmea em um adolescente rebelde meio punk. O que ela descobre em Ronnie é a verdadeira amiga, alguém com quem ela pode contar mesmo quando Blaze trai Ronnie.

“Blaze é uma alma torturada com um coração de ouro”, diz Chaikin. “É preciso sua amizade com Ronnie para trazer de volta essa parte boa que há nela. Ela vive um relacionamento doentio com Marcus quando Ronnie a conhece. Ela acredita que é tudo que ela tem no mundo, então ela fará de tudo para se agarrar a isso.

“O que eu adoro neste personagem é que, com a ajuda de Ronnie, ela encontra um meio de voltar”, diz Chaikin. “Ronnie é a única pessoa que a encoraja a mudar e a fazer as escolhas certas e, finalmente, Blaze consegue se restabelecer, recuperar sua força e sua coragem. Eu adoro a amplitude de tudo pelo que Blaze passa do início até o fim.”

ILHA TYBEE: UM DOS SEGREDOS MAIS BEM GUARDADOS DA GEORGIA

Um Lugar de Férias À Moda Antiga Fornece o Pano de Fundo Perfeito

O cineastas escolheram a pequena Ilha Tybee, na costa da Georgia, como cenário de A Última Música (The Last Song). Tybee tem quase 5 km de praias cristalinas e um antigo píer, bem como uma fileira de lojas diferentes que vendem desde roupas de praia até cervejas em meio a restaurantes temáticos, bares e exóticos chalés de madeira. Com uma população que não chega a 4.000 pessoas, seu charme caseiro e ambiente tranquilo tornam a ilha um destino de férias para residentes de Savannah e também para visitantes de todo o mundo.

A diretora Julie Anne Robinson se apaixonou por Tybee à primeira vista. “É uma comunidade à moda antiga, onde as pessoas deixam as portas destrancadas”, conta ela. “Você pode ir andando para qualquer lugar. Não se encontra mais muitos lugares como Tybee. É um ambiente único com abundância e riqueza que eu nunca vi em outro lugar. Parece uma ilha tropical, o que uma garota como Ronnie acharia irresistível.”

O desenhista de produção Nelson Coates e sua equipe foram enviados para encontrar uma casa que representasse a essência da Ilha Tybee. “Nós conversamos muito sobre a jornada emocional dos personagens e como os arredores refletiriam isso”, explica Robinson. “Para a casa de Steve, nós queríamos que transmitisse uma sensação de ter sido negligenciada. Não foi exatamente assim que a encontramos, mas não existia outro lugar como este na ilha. Ela foi construída em 1911 e partes foram acrescentadas ao longo dos anos, o que lhe deu muita personalidade. Mas era uma casa muito amada e nós queríamos que fosse um pouco menos. Nós tivemos que envelhecê-la e fazer com que a pintura parecesse desgastada pelos anos de negligência.”

Coates transformou a fachada e o interior da casa para refletir o estado de espírito de seu dono fictício, e também para permitir um acesso mais fácil e flexível para a equipe de filmagem. “Eu queria dar uma sensação de que está lá há muitos, muitos anos”, explica Coates. “Na casa de Steve, como em todo o filme, nós consideramos importante dar a sensação de viver na praia, em vez de conferir um visual idealizado de resort. É confortável e gasto, como se estivesse lá há anos. Uma vez que a casa é velha, há uma atmosfera autêntica de idade nela. Foi muito simples e orgânico, com as paredes de madeira em vez de paredes de gesso ou papel de parede.”

O exterior da casa havia sido reformado com acabamento branco, persianas pretas e telas de vinil. A equipe de produção suavizou e envelheceu a aparência da construção e acrescentou telas mais autênticas na varanda da frente que podiam ser movimentadas ou retiradas para acomodar o posicionamento das câmeras. Para dar espaço para a oficina de vitrô de Steve, uma parte da sala foi transferida para a varanda, o que também possibilitou que a diretora fizesse mais cenas tendo a praia como pano de fundo.

Algumas das principais cenas do filme se passam nas dunas de areia fora da casa, onde Ronnie encontra e protege um ninho de tartarugas marinhas. “Havia muitas dunas próximas, mas nenhuma delas funcionavam para nós”, explica Coates. “Nós precisávamos de uma locação que fosse perto da casa. Além disso, as dunas são protegidas e nós tínhamos que ter cuidado para não perturbá-las.”

Então os cineastas conseguiram permissão do Departamento de Recursos Naturais da Georgia para construir sua própria duna. “Nós trouxemos areia e plantas de fontes aprovadas”, conta Coates. “Nós reflorestamos várias dunas sem vegetação e criamos nossa própria duna no local exato em que queríamos, de forma que podíamos ter uma visão da casa e da água sem invadir uma área protegida. O Departamento de Recursos Naturais ficou tão contente com o nosso trabalho que autorizou que deixássemos as dunas e as plantas no local.”

A poucos quilômetros dali e a um mundo de distância da tranquila casa de praia de Steve, Coates projetou um lugar colorido e tumultuado para ambientar o local do torneio de vôlei. A própria Tybee forneceu muitas cores locais, como os restaurantes e barraquinhas que vendem sorvete, refrigerante e camisetas ao fundo.

Ao decidir sobre as cores externas, Coates diz que queria ficar longe dos aspectos que levassem o público a fazer uma associação com as tonalidades que pudessem associar com Hannah Montana. “Então evitamos rosas e cores elétricas ou neon.Usamos muito laranja e verde, e, no torneio de vôlei, acrescentamos azul. Colocamos luzes e faixas ao longo do píer para destacar o belo pôr do sol, já que muitas cenas acontecem nessa hora mágica.

Porque nenhuma igreja conforme a descrição do roteiro – com uma janela de vitrô em destaque – existia em Tybee, Coates e sua equipe encontraram um local perfeito a poucas quadras da praia no qual construíram uma. A intenção, de acordo com Coates, era construir uma igreja que servisse à história, mas que também parecesse que pertencia a esta bem-estabelecida comunidade.

“Nós queríamos que ela transmitisse o sentimento praiano e típico do sudeste do Estados Unidos”, explica ele. “Era uma questão de reunir todos os elementos que ajudavam a contar a história. Para garantir a autenticidade da história, eu analisei muitas igrejas da virada do século e coloquei uma placa que dizia que ela havia sido fundada em 1908. Tirei referências de cerca de 35 estruturas diferentes de tábuas de madeira. Não podia ter tijolos, porque nós teríamos que incendiá-la.

“Acrescentamos janelas góticas bem simples que diziam: ‘igreja’, e telhado irregular que eu havia visto em uma igrejinha na Carolina do Sul”, continua Coates. “A construção foi erguida sobre pilastras de tijolos, que é o que se faz no Sul, em áreas que inundam.”

A desenhista manteve o interior da igreja bem livre, conferindo um visual subliminar, orgânico. O vitrô em cima do altar é o elemento visual central. A inspiração para o projeto veio de antigos blocos de madeira e entalhes que representam as pedras sendo roladas para fora da tumba de Jesus com os anjos observando, ressaltando os temas de esperança e ressurreição que Sparks aborda.

“Eu passei umas 60 horas desenhando a janela”, diz Coates. “Depois tive que encontrar um meio de fabricá-la rapidamente, porque vitrô é muito trabalhoso. Eu contatei uma amiga que havia feito este trabalho para mim no passado em Los Angeles. Fiz um desenho ampliado da janela toda e ela começou a comprar os vidros. Ela me enviava por e-mail as fotos dos vidros com o sol iluminando por trás e nós escolhíamos as seções que queríamos usar. Fazer isso à longa distância foi bem desafiante, especialmente porque um dos processos de se fazer rostos e mãos em vitrô é pintar com várias cores e depois queimá-las separadamente, então não importava o que eu desenhasse no papel, seria o artista que escolheria os elementos da cor para cada queima.”

Coates e seu departamento de arte tinham apenas 11 semanas para pesquisar e se preparar para o filme, então o desenho, a construção e a conclusão da igreja e do vitrô aconteceram à velocidade da luz.

“Assim sendo, a igreja estava pronta em sua primeira versão semi-incendiada quatro semanas e meia depois que começamos a construção”, conta ele.  “Nós filmamos a janela oito semanas depois de o desenho ter sido concluído.”

Para a abundante cena do casamento na mansão Blakelee, a casa da família de Will, os cineastas saíram de Tybee e conseguiram uma difícil permissão para usar o Wormsloe State Historic Site, perto de Savannah. No final de uma longa estrada de cascalho e lama, cercada por antigos carvalhos e coberta de musgo encontra-se a magnífica mansão colonial de Noble Jones, um dos primeiro colonizadores ingleses da Georgia. Coates só teve que acrescentar alguns ornamentos, incluindo uma fonte, algumas plantas, um piano e os adereços de um casamento elaborado, para completar o quadro.

O visual cru e suave que Coates desenvolveu para o filme influenciou também o guarda-roupa. Quando Ronnie fica mais à vontade com ela mesma, suas roupas evoluem também. O visual urbano punk que ela apresenta no início do filme dá lugar a um guarda-roupa mais compatível com seu novo momento. “Julie Anne e eu, com certeza, queríamos figurinos que refletissem a mudança do personagem de Ronnie”, diz Jennifer Gibgot. “O que vemos por fora diz muito sobre como ela mudou por dentro. Louise Frogley, nossa figurinista, com certeza entendeu isso. Ao longo do filme, Ronnie perde seu lado mais rebelde. Quando ela se apaixona por Will e começa a perdoar seu pai, suas roupas se tornam mais suaves e femininas.”

Robinson e o diretor de fotografia John Lindley usou a luz suave da tarde e da noite da Ilha Tybee em diversas cenas. “John e eu queríamos transmitir uma sensação de natureza”, diz Robinson. “Nós queríamos que os desempenhos enfatizassem as qualidades universais do que os nossos personagens estão sentindo. Para fazer isso, nós tentamos usar ângulos inesperados, e manter o processo o mais puro e leve possível de forma que os atores não se sentissem confinados.”

Robinson e Lindley fizeram grande uso de gruas e tomadas abertas para fotografar o vibrante festival de praia e o torneio de vôlei, e também o amplo espaço da praia de Tybee. A técnica também foi usada para destacar a vulnerabilidade emocional dos personagens.

“No nível artístico, nós queríamos dar uma escala para contrapor os aspectos emocionais da história”, diz o diretor. “O uso das tomadas amplas nos permitiu colocar um ou dois personagens no contexto deste ambiente de forma que o público possa ver como a pessoa se sente vulnerável. Por exemplo, há uma tomada em que Jonah recebe uma notícia muito ruim e ele está no primeiro plano de uma tomada bem ampla, com Ronnie e Will ao fundo. Você fica bem próximo da dor do menino. Alguém disse certa vez que você deve ser capaz de contar a história de um filme sem som e foi o que eu tentei fazer.”

Um dos aspectos mais complicados para Robinson foi encontrar um modo de dirigir as tartarugas marinhas bebês que têm papel crucial no renascimento e na redenção de Ronnie. Ronnie passa grande parte do verão protegendo um ninho de tartarugas dos quatis, até que os ovos quebram e as tartarugas recém-nascidas vão para o mar. Pensando em inserir tartarugas geradas por computação gráfica na pós-produção, os cineastas e o elenco originalmente filmaram a sequência usando a própria imaginação e seguindo conselhos de especialistas em tartarugas marinhas e da equipe de efeitos visuais.

“Nós ficamos nas dunas em cima de onde estariam os ovos, mas não havia nada lá”, conta Bobby Coleman. “Nós tivemos que imaginar onde eles estariam e fingir que seguíamos as tartarugas e que não as esmagávamos. Eu criei uma linha invisível na minha cabeça de onde eu devia ir. Foi muito divertido, mas depois havia tartarugas de verdade e foi muito mais legal!”

No final, o Departamento de Recursos Naturais da Georgia forneceu 26 tartaruguinhas para o falso ninho. No momento certo, as pequenas tartarugas saíram pela areia em direção à água e entraram no mar.

TRILHA SONORA PARA UM VERÃO INESQUECÍVEL

Músicas de Miley Cyrus,

Maroon 5,  The Ravonettes

e One Republic

A trilha sonora de A Última Música (The Last Song) apresenta músicas de alguns dos mais populares astros da atualidade, incluindo duas canções originais interpretadas por Miley Cyrus: “When I Look At You”, escrita e produzida pelo produtor vencedor do Grammy® John Shanks e coescrita pela compositora nascida em Nashville Hillary Lindsey, e também “I Hope You Find It”, escrita por Jeffrey Steele e Steven Robson.

A primeira canção, que se tornou a música símbolo do filme, foi originalmente composta para o próximo disco de Miley Cyrus. “WhenI Look At You” ia, originalmente, para meu próximo disco, no qual eu estava trabalhando enquanto filmava em Savannah”, conta Cyrus. “Mas então percebi que ela descrevia o filme todo e, então, chamamos um compositor para compor uma peça no piano que eu pudesse tocar. Está no filme, no momento em que Ronnie revela a Will que toca piano. Foi perfeito para a cena porque é uma música de amor, mas fala também sobre Deus, família e amor – sobre tudo que o filme aborda”. O vídeo musical foi dirigido por Adam Shankman.

A trilha sonora de A Última Música (The Last Song) é um lançamento digital da Hollywood Records e estará disponível em 23 de março de 2010. O disco apresenta canções de One Republic, VHS or Beta, Eskimo Joe, Miley Cyrus, The Paper Raincoat, Ra Ra Riot, Jose Gonzales, Iron & Wine, Alpha Rev, Edwin McCain, Allstar Weekend, Valora, The Ravonettes e Aaron Zigman.

Faixas incluídas:

  • “Tyrant” – One Republic
  • “Bring On The Comets” – VHS ou Beta
  • “Setting Sun” – Eskimo Joe
  • “When I Look At You” – Miley Cyrus
  • “Brooklyn Blurs” – The Paper Raincoat
  • “Can You Tell” – Ra Ra Riot
  • “Down The Line” – Jose Gonzales
  • “Each Coming Night” – Iron & Wine
  • “I Hope You Find It” – Miley Cyrus
  • “New Morning” – Alpha Rev
  • “Broke Down Hearted Wonderland” – Edwin McCain
  • “A Different Side Of Me” – Allstar Weekend
  • “No Matter What” – Valora
  • “Heart Of Stone” – The Ravonettes
  • “Tema de Steve” (trilha sonora) – Aaron Zigman

Website: TheLastSongMovie.com

Torne-se um fã no Facebook: facebook.com/TheLastSong

Siga- nos no Twitter: twitter.com/thelastsong

SOBRE O ELENCO

MILEY CYRUS (Ronnie Miller) estrela na série de sucesso do Disney Channel Hannah Montana, que está atualmente na quarta temporada. Ela também estrelou o longa Hannah Montana: The Movie (Hannah Montana: O Filme), que foi o primeiro colocado em bilheteria no fim de semana de lançamento; fez a voz de Penny em Bolt – O Supercão (Bolt); e bateu recordes de bilheteria com o filme 3D Hannah Montana/Miley Cyrus: Melhor dos Dois Mundos (Hannah Montana/Miley Cyrus: Best of Both Worlds Concert Tour).

Cyrus é uma cantora muito premiada e a mais jovem a gravar quatro discos primeiros colocados em menos de três anos. Lançou recentemente “The Time of our Lives”, que inclui o sucesso número 1 “Party in the USA”. Também é autora do best-seller Miles to Go, seu primeiro livro que narra sua história inspiradora, desde suas raízes sulistas no Tennessee até os triunfos de vendas de discos e também seus êxitos na televisão, na música e no cinema. Além disso, Cyrus e o desenhista Max Azria da marca de roupas BCBGMAXAZRIAGROUP, Inc. se uniram para criar a Miley Cyrus & Max Azria, uma nova linha de roupas exclusivas para a Walmart.

Cyrus atualmente é parceira do Youth Service America e fundou a Get Ur Good On (www.geturgoodon.org), uma rede on-line de jovens que se associaram em uma missão para fazer o “bem” em suas comunidades. Ela também está envolvida com várias entidades beneficentes incluindo City of Hope, Make-A-Wish Foundation e American Red Cross, entre outras.

O ator indicado ao prêmio da Academia® GREG KINNEAR (Steve Miller) continua ampliando o seu já impressionante currículo com papéis nos mais diversos projetos. Entre seus filmes mais recentes inclui as comédias Uma Mãe para Meu Bebê (Baby Mama), ao lado de Tina Fey, e Cidade Fantasma (Ghost Town), com Ricky Gervais, bem como o drama Flash of Genius, com Lauren Graham.

Em Pequena Miss Sunshine (Little Miss Sunshine), o sucesso aclamado pela crítica do Festival de Cinema de Sundance em 2006, Kinnear interpreta um emotivo e persistente técnico que leva sua família em uma viagem rodoviária para que sua filha de sete anos possa realizar o sonho de competir num concurso de beleza. Aclamado pela crítica nacional, Pequena Miss Sunshine (Little Miss Sunshine) recebeu indicações a vários prêmios da Academia e também do Film Independent’s Spirit, e Kinnear, junto com Steve Carell, Alan Arkin, Abigail Breslin, Paul Dano e Toni Collette, ganharam o prêmio do Screen Actors Guild® de Melhor Desempenho de Elenco em Longa-Metragem.

Kinnear passou dos concursos de beleza para as quadras ao estrelar ao lado de Mark Wahlberg o filme Invencível (Invincible), a história real de Vince Papale, um atendente de bar de 30 anos que participa de uma seletiva aberta do Philadelphia Eagles, organizada pelo novo técnico Dick Vermeil (Kinnear). Em seguida, estrelou Nação Fast Food: Uma Rede de Corrupção (Fast Food Nation), de Richard Linklater, baseado no best-seller de Eric Schlosser.

Em 1997, estrelou ao lado de Jack Nicholson no indicado ao Oscar® Melhor É Impossível (As Good as It Gets), de James L. Brooks e foi indicado ao prêmio da Academia ® pelo desempenho como Simon, o vizinho de Nicholson. Kinnear também recebeu indicações ao Globo de Ouro® e ao Screen Actors Guild® por esse trabalho, e foi nomeado Melhor Ator Coadjuvante pelo National Board of Review.

O ator estreou no cinema no remake do diretor Sydney Pollack de Sabrina (Sabrina), ao lado de Harrison Ford e Julia Ormond. Seu desempenho rendeu-lhe o título de Male Star of Tomorrow concedido pela organização dos exibidores no ShoWest. Depois de seu desempenho indicado ao Oscar® em Melhor É Impossível (As Good as It Gets), ele coestrelou a comédia romântica Mensagem para Você (You’ve Got Mail) de Nora Ephron, com Tom Hanks e Meg Ryan, e De Que Planeta Você Veio? (What Planet Are You From?) de Mike Nichols, com Garry Shandling e Annette Bening.

Em sua filmografia inclui ainda: O Matador (The Matador) com Pierce Brosnan e o filme biográfico aclamado pela crítica do ator Bob Crane, Auto Focos (Auto Focus), do diretor Paul Schrader. Ele fez a voz do personagem Ratchet no filme de animação Robôs (Robots), e também estrelou em: Fomos Heróis (We Were Soldiers) com Mel Gibson; em Jantar com Amigos (Dinner with Friends) de Norman Jewison, na HBO; na comédia dos irmãos Farrelly Ligado em Você (Stuck on You), com Matt Damon; no suspense sobrenatural O Dom da Premonição (The Gift), de Sam Raimi, ao lado de Cate Blanchett e Katie Holmes; e na comédia de humor negro Enfermeira Betty (Nurse Betty) de Neil LaBute, ao lado de Renée Zellweger, Morgan Freeman e Chris Rock.

Nascido em Logansport, Indiana, Kinnear cresceu em vários lugares em todo o mundo, pois seu pai trabalhava no Departamento de Estado e morou em diversos locais entre os quais Washington, D.C., Beirute, no Líbano e Atenas, na Grécia. Ele mora em Los Angeles com a mulher e as três filhas.

Uma artista talentosa e cativante, KELLY PRESTON (Kim Miller) atuou em uma ampla gama de longas-metragens, interpretando personagens em diversos filmes, tais como: Jerry Maguire – A Grande Virada (Jerry Maguire), Ruth em Questão (Citizen Ruth) e Por Amor (For the Love of the Game). Seus desempenhos dinâmicos e comoventes mostraram que ela é uma das mais requisitadas atrizes de nossa geração.

Preston nasceu e cresceu no Havaí. Por conta de compromissos profissionais de seu pai, que ocupa um cargo em uma empresa de agricultura, a família mudou-se primeiramente para o Iraque, onde ficou por um ano e depois para a Austrália por dois anos. Foi durante a adolescência no Havaí que Preston trabalhou em comerciais de televisão e começou a se interessar pela carreira de atriz.

Preston formou-se pela Punahou High School no Havaí, junto com o então colega, o atual presidente norte-americano Barack Obama. Em seguida, mudou-se para Los Angeles e entrou para a University of Southern California onde cursou teatro e cinema. Por fim, pediu transferência para a Universidade da Califórnia em Los Angeles e decidiu seguir a carreira de atriz com seriedade. Logo no primeiro teste que fez conseguiu um papel.

Ela foi vista recentemente na comédia Surpresa em Dobro (Old Dogs), ao lado de seu marido John Travolta, de sua filha Ella Bleu − em seu filme de estreia − e de Robin Williams. O filme, dirigido por Walt Becker, é a história de dois amigos e sócios que veem suas vidas virarem de cabeça para baixo quando circunstâncias estranhas os levam a cuidar de gêmeos de sete anos. Surpresa em Dobro (Old Dogs) foi lançado em 25 de novembro de 2009.

Recentemente, Preston concluiu as filmagens de Casino Jack, ao lado de Kevin Spacey. O filme é baseado na história real de um importante lobista de Washington, D.C. e de seu protegido, que se dão mal quando seus esquemas de tráfico de influência acabam em corrupção e assassinato. Preston interpreta o papel de Pam Abramoff.

Em 2008, ela foi vista em quatro episódios da série de sucesso Medium, da NBC. Ela interpretou Meghan Doyle, a capitalista atraente que gosta do que vê quando se junta a Joe Dubois (Jake Weber), o que acaba afetando seu casamento.

Entre seus recentes projetos estão: o piloto da HBO de Suburban Shootout, dirigido por Barry Sonnenfeld, e o filme original do Lifetime, The Tenth Circle, com Ron Eldard. Baseado no romance best-seller do The New York Times, escrito por Jodi Picoult, The Tenth Circle é um forte relato sobre uma família americana que fala sobre o elo inquebrável entre pais e filhos. Preston também pode ser vista no thriller da FOX, Death Sentence, com Kevin Bacon, dirigido por James Wan.

Preston estreou no cinema no sucesso Irmãos Gêmeos (Twins), ao lado de Arnold Schwarzenegger e Danny DeVito. Também estrelou o curta-metragem indicado ao Oscar® Little Surprises, dirigido por Jeff Goldblum.

Preston atuou com aclamação da crítica ao lado de Tom Cruise no campeão de bilheteria, Jerry Maguire – A Grande Virada (Jerry Maguire), da Tri-Star, escrito e dirigido por Cameron Crowe. E também estrelou, ao lado de Kevin Costner em Por Amor (For Love of the Game), do diretor Sam Raimi. Também foi vista no papel principal do longa aclamado pela crítica Ruth em Questão (Citizen Ruth), da Miramax. Além disso, estrelou em Super Escola de Heróis (Sky High), com Kurt Russell; em O Gato (The Cat in the Hat), ao lado de Mike Meyers, na comédia de humor negro Um Funeral Muito Louco (Eulogy), com Ray Romano e Debra Winger; em A Lente do Amor (Addicted to Love), ao lado de Meg Ryan e Matthew Broderick; e na comédia Nada a Perder (Nothing to Lose), com Tim Robbins e Martin Lawrence.

Preston também estrelou na comédia Santo Homem (The Holy Man), com Eddie Murphy e Jeff Goldblum; em Uma Noite Mágica (Jack Frost), com Michael Keaton; em Tudo em Família (Daddy and Them), do diretor Billy Bob Thornton; em Voando Alto (View From the Top), com Gwyneth Paltrow e Christina Applegate; e em Tudo Que Uma Garota Quer (What a Girl Wants), com Amanda Bynes e Colin Firth.

LIAM HEMSWORTH (Will Blakelee) foi visto no sucesso de bilheteria Presságio, estrelado por Nicolas Cage, e estrelou no suspense O Mistério do Triângulo das Bermudas (Triangle). Ele começou sua carreira na televisão em sua terra natal, a Austrália. Entre seus créditos na TV inclui: Neighbours, Home and Away e Daughters de McLeod. Também fez a voz de Marcus da série de televisão The Elephant Princess.

BOBBY COLEMAN (Jonah Miller) andava pelos sets de filmagens desde o nascimento, aprendendo com sua irmã mais velha, a atriz Holliston Coleman e, aos 6 anos, decidiu experimentar por conta própria. Logo conseguiu oportunidades em comerciais nacionais e estrelou séries de televisão tais como Knight Rider, In Plain Sight e Medium, entre outras. Fez um papel recorrente na série de ficção científica Surface da NBC e fez parte da família protagonista do piloto de Family Man, de William H. Macy.

Em sua filmografia inclui Amigas com Dinheiro (Friends with Money) e Procura-se um Amor que Goste de Cachorros (Must Love Dogs) e foi protagonista de A Casa de Vidro 2 (Glass House: The Good Mother) e Take. Ele também estrelou ao lado de John Cusack no papel título do filme Ensinando a Viver (Martian Child), no qual interpretou um filho adotado com problemas que acredita que é (e talvez seja) de Marte. Em seguida fará Robosapien, uma aventura do produtor de Homem-Aranha (Spiderman), X-Men (X-Men) e Homem de Ferro (Ironman), na qual irá coestrelar com sua irmã Holliston; e o filme adolescente Snowmen, com Ray Liotta e Christopher Lloyd.

HALLOCK BEALS (Scott Thomas) mudou-se para Los Angeles no final de 2005 e chamou a atenção de dois ganhadores do prêmio da Academia® ao trabalhar com Alan Ball em True Blood e com Clint Eastwood no filme vencedor do Oscar® Cartas de Iwo Jima (Letters from Iwo Jima). Ela também foi visto no Festival Young Playwright ao lado de Tiffani Thiessen, Dee Wallace, Mark Arnold e Garrett Brown, para citar alguns. Quando não está na frente das câmeras ou no palco, ele pode ser encontrado praticando seu ofício na Beverly Hills Playhouse.

NICK LASHAWAY (Marcus) começou em comerciais com 7 anos de idade. Entre seus créditos inclui: My Soul to Take, O Virgem de 40 Anos (The 40-Year-Old Virgin), Bag Boy e American Fork. Também foi visto em vários programas de televisão incluindo: The X Files, 8 Simple Rules… for Dating My Teenage Daughter, MADtv e The Weird Al Show.

CARLY CHAIKIN (Blaze) faz sua estreia no cinema em A Última Música (The Last Song). Ela também foi vista na comédia independente The Consultants.

SOBRE A EQUIPE TÉCNICA

JULIE ANNE ROBINSON (Diretora) foi indicada ao BAFTA e ao Globo de Ouro®. Na televisão britânica, seus créditos incluem o piloto da BBC, aclamado pela crítica, Viva Blackpool, bem como o filme de televisão, indicado ao BAFTA, Coming Down the Mountain.

Na televisão dos EUA, dirigiu os pilotos da ABC de Girls on the Bus e The Middle, estrelado por Patricia Heaton. Entre seus créditos na televisão inclui uma variedade de episódios de séries como: Grey’s Anatomy, Pushing Daisies, Weeds e Big Love. Robinson irá dirigir, em seguida The Last Summer of You and Me, a adaptação cinematográfica do livro de Ann Brashares.

Os trabalhos de NICHOLAS SPARKS (Roteiro de/Baseado no livro de) estão entre as franquias mais bem-sucedidas de Hollywood. Todos os seus 15 livros foram best-sellers nacionais e internacionais, vendendo mais de 55 milhões de cópias em mais de 32 idiomas. Seu último livro A Última Música (The Last Song) ficou em primeiro lugar nas listas de best-sellers do New York Times e do USA Today. Até hoje, cinco se tornaram filmes, incluindo alguns dos maiores sucessos de bilheteria da década passada, como Diário de Uma Paixão (The Notebook), Mensagem de Amor (Message in a Bottle) e o recente Querido John (Dear John), que estreou em primeiro lugar ao ser lançado em fevereiro de 2010. Os primeiros quatro filmes de Sparks faturaram em média US$ 56 milhões, com mais US$ 100 milhões em vendas de DVD.

Ele começou a escrever quando se recuperava de uma contusão em um treino na Universidade de Notre Dame, onde se formou em finanças com honras em 1988. Embora seus dois primeiros livros não tenham sido publicados, ele continuou a escrever depois de formado. Depois de ser rejeitado por vários editores e também da escola de direito, tentou uma variedade trabalhos em diversas áreas em busca de sua paixão.

Sua primeira grande oportunidade foi em 1990, quando colaborou em um livro com o medalhista olímpico Billy Mills. O livro foi publicado pela Feather Publishing antes de ser editado pela Random House. Embora tenha tido pouca divulgação, as vendas superaram 50 mil cópias no primeiro ano de lançamento.

Enquanto vendia itens farmacêuticos na Carolina do Norte, escreveu The Notebook, cujos direitos foram comprados pela Warner Books três anos depois. O livro ficou 56 semanas na lista de best-sellers do New York Times na versão de capa dura e outras 54 semanas na versão de bolso, e vendeu mais de 10 milhões de cópias.

Sem ter certeza de que poderia repetir esse sucesso, Sparks continuou vendendo itens farmacêuticos até se convencer que seu livro seguinte, Message in a Bottle, seria um sucesso. Sparks publicou vários livros na década seguinte incluindo: A Walk to Remember (1999), The Rescue (2000), A Bend in the Road (2001), Nights in Rodanthe (2002), The Guardian (2003), The Wedding (2003), Three Weeks with My Brother (2004), True Believer (2005) e At First Sight (2005), que foram publicados pela Warner Books.

Mensagem de Amor (Message in a Bottle) foi o primeiro de seus livros a ser transformado em filme e se tornou um sucesso de bilheteria em 1999. Em seguida, foi a vez de Um Amor para Recordar (A Walk to Remember), em 2002; O Diário de Uma Paixão (The Notebook) em 2004 e Noites de Tormenta (Nights in Rodanthe) em 2008.

Os direitos do filme de Justiça Corrupta (True Believer) e À Primeira Vista (At First Sight) foram vendidos, e The Lucky One está em desenvolvimento para um lançamento muito aguardado em 2012. Sparks também escreveu o roteiro de The Guardian, que ainda não está à venda.

Depois de formado pela Universidade de Notre Dame, JEFF VAN WIE (Roteiro de) começou uma carreira na área de tecnologia da informática que durou 23 anos. Mas essa carreira nunca foi sua paixão e, em 1993, começou a escrever roteiros e a estudar cinematografia. Em 2006, decidiu tirar um período de descanso para escrever roteiros. Ele apresentou uma ideia de roteiro para Nicholas Sparks. Sparks adorou a ideia e os dois escreveram juntos uma história edificante sobre um estudante de uma cidade do interior que usa as pernas e os pulmões para se libertar do meio perigoso em que vive. One Square Mile foi o primeiro trabalho da dupla até que Sparks foi convidado pela Disney para escrever A Última Música (The Last Song). Van Wie é agora escritor em tempo integral e membro do WGA-East. Ele é representado pela UTA e está atualmente trabalhando pela terceira vez com Sparks.

ADAM SHANKMAN (Produtor) é um cineasta multifacetado que tem conquistado muito sucesso como diretor, produtor e coreógrafo. Foi coprodutor e coreógrafo principal da transmissão do Oscar® de 2010. Entre seus filmes recentes estão os sucessos de bilheteria 17 Outra Vez (17 Again), estrelado por Zac Efron, no qual foi produtor; Um Faz de Conta de Acontece (Bedtime Stories), estrelado por Adam Sandler e Keri Russell, que ele dirigiu; e o ainda inédito Step Up 3-D. Ele também foi juiz do programa So You Think You Can Dance.

Em julho de 2007, Hairspray – Em Busca da Fama (Hairspray), de Shankman, a adaptação do musical da Broadway, vencedor do Tony®, foi lançado com ótimas críticas. O filme recebeu três indicações ao Globo de Ouro® incluindo a de Melhor Filme – Musical ou Comédia. Além disso, o notável elenco do filme, que incluía John Travolta, Queen Latifah, Michelle Pfeiffer, Christopher Walken, Zac Efron e Nikki Blonsky, ganhou o prêmio de Critic’s Choice de Melhor Desempenho de Elenco.

Como produtor, Shankman e sua irmã, Jennifer Gibgot, são sócios na Offspring Entertainment, que atualmente tem uma ampla gama de projetos em vários estágios de produção e desenvolvimento. Sob a bandeira da Offspring, Shankman produziu anteriormente Ela Dança, Eu Danço (Step Up), dirigido por sua coreógrafa assistente Anne Fletcher; a sequência de sucesso, Ela Dança, Eu Danço 2 (Step Up 2: The Streets), dirigida por Jon M. Chu; e o thriller Premonição (Premonition), estrelado por Sandra Bullock.

Shankman começou sua carreira como diretor em 2001, com o filme O Casamento dos Meus Sonhos (The Wedding Planner), estrelado por Jennifer Lopez e Matthew McConaughey. No ano seguinte, dirigiu o drama romântico Um Amor Para Recordar (A Walk to Remember), estrelado por Mandy Moore e Shane West. Em 2003, fez a comédia A Casa Caiu (Bringing Down the House), estrelada por Steve Martin e Queen Latifah, que ficou em primeiro lugar de bilheteria por três semanas consecutivas. Em 2005, dirigiu a comédia de ação Operação Babá (The Pacifier), estrelada por Vin Diesel, e a comédia familiar Doze É Demais 2 (Cheaper by the Dozen 2), estrelada por Steve Martin e Bonnie Hunt.

Antes de lançar sua carreira como diretor e produtor, foi um dos mais importantes coreógrafos da indústria do entretenimento, especialista em dança e comédia física, usando sua criatividade em uma variedade de comédias, dramas, suspenses e animações muito famosos. Entre seus projetos inclui: A Família Addams (The Addams Family), Gasparzinho, o Fantasminha Camarada (Casper), Inspetor Bugiganga (Inspector Gadget), Anastasia (Anastasia), George o Rei da Floresta (George of the Jungle), Boogie Nights – Prazer Sem Limites (Boogie Nights), Casos e Casamentos (Miami Rhapsody) e Os Flintstones (The Flintstones), pelo qual foi indicado ao prêmio Bob Fosse. Shankman ganhou o prêmio Bob Fosse pelo trabalho no comercial com Simon West. Aos 24 anos, associou-se ao influente diretor de vídeos, Julian Temple, como coreógrafo de vídeos musicais. Um de seus primeiros vídeos como coreógrafo foi “I’m Your Baby Tonight”, de Whitney Houston. Além disso, fez a coreografia de vídeos para B-52s, Barry White, Aaron Neville, Chic e Stevie Wonder.

Nascido em Los Angeles, Shankman apaixonou-se pelo teatro ainda bem jovem. Depois do colegial, mudou-se para Nova York e cursou a Juilliard. Depois de cinco anos como ator e dançarino nos palcos de Nova York e fazendo teatro regional, voltou para Los Angeles e começou a dançar em videoclipes para artistas como Paula Abdul e Janet Jackson. Ele também atuou na festa de premiação da Academia® de 1989.

JENNIFER GIBGOT (Produtora) começou sua carreira como produtora em 1995, gerenciando a Tapestry Films. Durante os oito anos em que esteve na chefia, ela supervisionou inúmeros projetos e produziu filmes de sucesso, tais como Ela É Demais (She’s All That) e O Casamento dos Meus Sonhos (The Wedding Planner), estrelado por Jennifer Lopez e Matthew McConaughey. Gibgot contratou seu irmão, Adam Shankman, que já era um coreógrafo estabelecido, para dirigir O Casamento dos Meus Sonhos (The Wedding Planner), e, assim, lançou sua carreira como diretor. Eles trabalharam juntos recentemente em 17 Outra Vez (17 Again), Um Faz de Conta de Acontece (Bedtime Stories) e no ainda inédito Step Up 3-D.

Em 2003, Gibgot e Shankman formaram a Offspring Entertainment e assinaram um acordo de primeira opção com a Disney. Ela foi produtora executiva dos seguintes filmes dirigidos por Shankman: Operação Babá (The Pacifier), estrelado por Vin Diesel, e a comédia familiar Doze É Demais 2 (Cheaper by the Dozen 2), estrelado por Steve Martin e Bonnie Hunt. Além disso, Gibgot e Shankman produziram o filme de dança de sucesso Ela Dança, Eu Danço (Step Up) e da sequência ainda mais bem-sucedida, Ela Dança, Eu Danço 2 (Step Up 2: The Streets).

Sob a bandeira da Offspring, Gibgot e Shankman foram produtores executivos do sucesso musical de 2007 Hairspray – Em Busca da Fama (Hairspray), estrelado por John Travolta, Queen Latifah, Michelle Pfeiffer, Christopher Walken, Zac Efron e Nikki Blonsky. Hairspray – Em Busca da Fama (Hairspray) recebeu vários prêmios, incluindo uma indicação ao Globo de Ouro® de Melhor Filme – Musical ou Comédia.

TISH CYRUS (Produtora Executiva) marca sua estreia como produtora executiva com A Última Música (The Last Song). A Hope Town Entertainment, de Cyrus, tem um acordo de produção com a Disney.

Durante uma carreira no cinema que se estende por quase duas décadas, JOHN LINDLEY (Diretor de Fotografia) estabeleceu relacionamentos duradouros em vários filmes, com diretores tais como: Nora Ephron (Michael – Anjo e Sedutor, Mensagem para Você, Bilhete Premiado e A Feiticeira), Jonathan Kaplan (Quase Família e os telefilmes The Gentleman Bandit e Girls of the White Orchid), Phil Alden Robinson (o indicado ao Oscar® Campo de Sonhos, Quebra de Sigilo, A Soma de Todos os Medos e Casanova- Adorável Sedutor), Joseph Ruben (O Padrasto, Dormindo com o Inimigo, O Anjo Malvado, Assalto Sobre Trilhos e Justiça Corrupta) e Charles Shyer (O Pai da Noiva e Adoro Problema). O trabalho de Lindley em Pleasantville – A Vida em Preto e Branco (Pleasantville), de Gary Ross, que ele filmou em preto e branco e também em cores, foi aclamado pela crítica e rendeu-lhe indicações a vários prêmios. Em sua filmografia inclui ainda Imagine Só (Imagine That), Traídos pelo Destino (Reservation Road), Instinto Secreto (Mr. Brooks), Pegar e Largar (Catch and Release) e o thriller ainda inédito Legião (Legion), estrelado por Paul Bettany e Dennis Quaid.

Depois de cursar a Tisch School of the Arts da Universidade de Nova York, o nova-iorquino começou sua carreira em documentários, nas redes BBC e dos Estados Unidos. Entre seus primeiros créditos inclui a série de TV Nurse, estrelada por Michael Learned, e o documentário, vencedor do prêmio da Academia® He Makes Me Feel Like Dancing, de Emile Ardolino, sobre o coreógrafo Jacques d’Amboise. Entre seus outros créditos como cinegrafista inclui: A Volta dos Bravos (Home of the Brave), de Laurie Anderson; Maldição dos Mortos-Vidos (The Serpent and the Rainbow), de Wes Craven; O Núcleo – Missão ao Centro da Terra (The Core), de Jon Amiel e Luzes, Câmera, Ação (The Last Shot), de Jeff Nathanson. Ele também filmou vídeo musicais, entre os quais destaca-se “Road to Nowhere”, do Talking Heads agora na coleção permanente do Museu de Arte Moderna. Seu trabalho em comerciais inclui o spot premiado “Desert Island”, da FedEx.

Nascido em San Diego, AARON ZIGMAN (Compositor) começou seu treinamento como pianista clássico aos seis anos de idade com sua mãe, pianista e harpista. Quando estava no terceiro ano da UCLA, Zigman assinou um contrato de quatro anos com a gigante editorial Almo Irving e começou a compor, produzir, fazer arranjos e orquestrações para muitos dos mais renomados artistas na indústria musical. Ele era um dos quatro compositores da equipe patrocinados pela empresa e compôs canções para Carly Simon, para a série de TV Fame e também compôs com David Lasley, Jerry Knight e Steve Cropper.

Em 1983, aos 20 anos, começou a estudar com seu primo George Bassman, um notável compositor da MGM que fez a orquestração de O Mágico de Oz (Wizard of Oz) e compôs a música para os filmes Marty (Marty) e O Destino Bate à Sua Porta (The Postman Always Rings Twice). Compôs também o clássico “Getting Sentimental Over You”, de Tommy Dorsey; foi o arranjador de Lena Horne e Benny Goodman, e orquestrador do legendário Andre Kostelanetz.

Então, em meados dos anos 1980, assumiu a função de músico de estúdio, trabalhando com os produtores Don Was, Gary Katz, Steely Dan e Stewart Levine. Começou a estabelecer seu nome como produtor e compositor e logo compôs um grande sucesso, a canção chamada “Crush On You”, que permaneceu nas primeiras posições em todas as paradas de sucesso, para um grupo chamado The Jets. Em seguida, trabalhou com Clive Davis como produtor e arranjador de Aretha Franklin e Natalie Cole. Escreveu, produziu e fez os arranjos de canções para muitos dos maiores cantores e artistas da indústria discográfica, incluindo: Ray Charles, Sting, Phil Collins, Dionne Warwick, Bozz Skaggs, Tina Turner, Seal, Carly Simon, Pointer Sisters, Huey Lewis, Jennifer Holliday, Patty LaBelle, Chicago, Natalie Cole e Christina Aguilera.

Nos anos 1990, Zigman entrou na indústria cinematográfica. Seu trabalho foi apresentado nas trilhas sonoras de Mulan (Mulan), Tina (What’s Love Got to Do with It), A Gaiola da Loucas (Bird Cage), Licença para Matar (License to Kill), Clube dos Pilantras (Caddyshack) e Pocahontas (Pocahontas).

Embora sua lista de realizações na área pop fosse formidável, criar música orquestral ainda era a meta primordial de Zigman. Era inevitável que a dedicação de toda a vida à música clássica acabasse, por fim, levando-o aos estúdios para fazer trilhas sonoras de filmes. Sua grande oportunidade veio em 2000, quando o diretor Nick Cassavetes ouviu o poema sinfônico clássico de 35 minutos de Zigman intitulado “Rabin” que foi apresentado na L.A. Jewish Symphony. O trabalho foi composto em memória de Yitzhak Rabin, o último ministro do Estado de Israel. Cassavetes ficou muito comovido e convidou Zigman para a fazer a trilha do filme Um Ato de Coragem (John Q) de Denzel Washington.

Zigman em seguida trabalhou no sucesso de bilheteria Diário de uma Paixão (The Notebook), cuja trilha sonora vendeu um número recorde de discos.

NELSON COATES (Desenhista de Produção) desenhou recentemente a comédia romântica de sucesso A Proposta (The Proposal), estrelada por Sandra Bullock e Ryan Reynolds, e o filme biográfico No Limite (The Express: The Ernie Davis Story), dirigido por Gary Fleder, estrelado por Dennis Quaid e Rob Brown. Entre seus outros créditos como desenhista de produção estão: Jogo de Ladrões (Thick as Thieves), Coisas para Fazer em Denver Quando Você Está Morto (Things to Do in Denver When You’re Dead), também para o diretor Gary Fleder, Crime na Casa Branca (Murder at 1600), Beijos que Matam (Kiss the Girls), Ecos do Além (Stir of Echoes), Refém do Silêncio (Don’t Say A Word), A Mão do Diabo (Frailty), Voltando a Viver (Antwone Fisher), O Júri (Runaway Jury) e Escola de Idiotas (School for Scoundrels).

Na televisão trabalhou no telefilme Murderous Vision, do canal USA; em Cast a Deadly Spell, da HBO e na minissérie The Stand, da ABC, pela qual foi indicado ao Emmy® de Melhor Realização Individual em Direção de Arte para Minissérie ou Especial. Coates também fez o desenho das séries John Doe e Johnny Zero, da Fox, e também de October Road, da ABC.

Ele colaborou com o produtor Adam Shankman no curta Prop 8: The Musical, que foi exibido no FunnyOrDie.com.

LOUISE FROGLEY (Figurinista) desenhou os figurinos do próximo lançamento The Men Who Stare at Goats, dirigido por Grant Heslov e estrelado por George Clooney, Ewan McGregor, Jeff Bridges e Kevin Spacey. Ela também desenhou o guarda-roupa de O Amor Não Tem Regras (Leatherheads), de George Clooney e de Boa Noite e Boa Sorte (Good Night and Good Luck), pelo qual foi indicada ao prêmio do Círculo de Figurinistas de Melhor Figurino de Filme de Época. Ela recebeu outra indicação do Círculo na categoria de Filme Contemporâneo por seu trabalho em Syriana (Syriana), de Stephen Gaghan, estrelado por Clooney. Frogley também desenhou os figurinos de Treze Homens e um Novo Segredo (Ocean’s Thirteen), de Steven Soderbergh e de O Segredo de Berlim (The Good German), estrelado por Clooney e Cate Blanchett. Anteriormente, trabalhou com Soderbergh em O Estranho (The Limey) e Traffic (Traffic), tendo sido indicada ao prêmio do Círculo de Figurinistas de Excelência em Figurino para Filme Contemporâneo pelo último. Também desenhou os figurinos de Che (Che), de Soderbergh, um drama biográfico sobre Ernesto Che Guevara, e criou o guarda-roupa do filme de James Bond, Quantum of Solace (Quantum of Solace), de Marc Forster. Depois de A Última Música (The Last Song), Frogley logo começou a trabalhar em The Conspirator, de Robert Redford.

Ela iniciou sua carreira em Londres e Paris como figurinista e

decoradora para várias companhias publicitárias, incluindo o grupo de jovens diretores Ridley Scott Associate (RSA) tais como Ridley e Tony Scott e Hugh Hudson. Seu primeiro trabalho no cinema foi como desenhista assistente do vencedor do prêmio da Academia® Carruagens de Fogo (Chariots of Fire). Frogley, desde então, desenhou os figurinos de mais de 30 filmes, incluindo Monalisa (Mona Lisa) de Neil Jordan, Sorte no Amor (Bull Durham), de Ron Shelton, bem como Momento Crítico (Executive Decision), U.S. Marshalls – Os Federais (U.S. Marshalls), Jogos de Espião (Spy Game), Chamas da Vingança (Man on Fire) e Constantine (Constantine).

NANCY RICHARDSON (Montadora) montou Ela Dança, Eu Danço (Step Up) e três filmes de Catherine Hardwicke: Crepúsculo (Twilight), Os Reis de Dogtown (Lords of Dogtown) e Aos Treze (Thirteen).

Richardson é formada pela U.C. Berkeley e cursou cinema na UCLA. Desde então, montou vários filmes, incluindo três do diretor Charles Burnett: Não Durma Nervoso (To Sleep with Anger), Selma, Lord, Selma e Annihilation of Fish. Também trabalhou com o diretor Gregory Nava em três oportunidades, nos longas Minha Família (Mi Familia), Selena (Selena) e Por que o Amor Enlouquece (Why Do Fools Fall in Love). Também montou a estreia na direção de Maya Angelou, Down in the Delta e o longa Hendrix, dirigido por Leon Ichaso, pelo qual foi indicada ao Emmy. Entre seus créditos adicionais estão: O Preço do Desafio (Stand and Deliver), Os Profetas do Asfalto (Roadside Prophets) e A Cor da Fúria (White Man’s Burden).

Richardson é faz parte do American Cinema Editors e da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Foi membro da Editors Guild Board of Directors nos últimos quatro anos e foi reeleita para outro mandato. É professora da Escola de Cinema, Televisão e Mídia Digital da UCLA, onde é chefe de pós-produção.

OSCAR® e PRÊMIO DA ACADEMIA ® são marcas registradas e marcas de serviço da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

SCREEN ACTORS GUILD AWARD® e SAG AWARD® são marcas registradas e marcas de serviço do Screen Actors Guild.

TONY AWARD® é uma marca registrada e de serviço do The American Theatre Wing.

DO AUTOR DE

“DIÁRIOS DE UMA PAIXÃO” & “UMA PAIXÃO PARA SE RECORDAR”

MILEY CYRUS LIAM HEMSWORTH e GREG KINNEAR

Uma História sobre Família,

Primeiros Amores, Segundas Chances

e os Momentos da Vida

Que Levam Você de Volta para Casa.

A ÚLTIMA MÚSICA

(THE LAST SONG)

© Touchstone Pictures.

Uma

produção

OFFSPRING ENTERTAINMENT

Dirigido por. . . . . . .  .JULIE ANNE ROBINSON

Roteiro de: . . . . . . . . . . . .NICHOLAS SPARKS

& JEFF VAN WIE

Baseado na história de . . NICHOLAS SPARKS

Produzido por. . . . . . . . . . .ADAM SHANKMAN

e JENNIFER GIBGOT

Produtor Executivo . . . . . . . . . . . TISH CYRUS

Diretor de Fotografia . . . JOHN LINDLEY, ASC

Desenhista de Produção . . .NELSON COATES

Montadora . . .  .NANCY RICHARDSON, A.C.E.

Figurinista.. . . . . . . . . . . . . .LOUISE FROGLEY

Música de . . . . . . . . . . . . . . . AARON ZIGMAN

Supervisor Musical . . . . . . . . . . BUCK DAMON

Co-Produtora . . . . . . . . . . DARA WEINTRAUB

Elenco de. . . . . . . . .AMANDA MACKEY, C.S.A.

e CATHY SANDRICH GELFOND, C.S.A.

Ger. de Unid. de Prod. . . . DARA WEINTRAUB

Primeiro Assistente de Direção . ERIC TIGNINI

2º. Assistente de Direção. . .HOPE GARRISON

Produtor Associado . . . . . . . . LAUREN LEVY

ELENCO

Ronnie Miller . . . . . . . . . . . . . . MILEY CYRUS

Steve Miller . . . . . . . . . . . . . . GREG KINNEAR

Jonah Miller . . . . . . . . . . . . BOBBY COLEMAN

Will Blakelee . . . . . . . . .  LIAM HEMSWORTH

Scott . . . . . . . . . . . . . . . . . . HALLOCK BEALS

Kim. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . KELLY PRESTON

Marcus . . . . . . . . . . . . . . . . .NICK LASHAWAY

Blaze. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .CARLY CHAIKIN

Susan Blakelee . . . . . . . . . . . . KATE VERNON

Tom Blakelee . . . . . . . . . . . . . . NICK SEARCY

Teddy . . . . . . . . . . . . . . . . . . ADAM BARNETT

Lance . . . . . . . . . . . . . . MICHAEL JAMORSKI

Ashley . . . . . . . . . . . . . . . MELISSA ORDWAY

Cassie . . . . . . . . . . . . . . . . CARRIE MALABRE

Pastor Harris . . . . . . . . . . LANCE E. NICHOLS

Megan Blakelee . . . . . . . . STEPHANIE LEIGH

Marido de Megan. . . . . . . . . . . PHIL PARHAM

Vizinho . . . . . . . . . . . . . . BONNIE JOHNSON

Médico . . . . . . . . . . . . . . . . . RHODA GRIFFIS

Segurança . . . . . . . .ANTHONY PADEREWSKI

Bombeiro na Igreja . . . . . . . . . APRIL MOORE

TODD SMITH

Dublê de Fotografia

de Ronnie. . . STEPHANIE VICKERS

Coord. de Cenas de Ação . . . . CAL JOHNSON

Dublês de Cenas de Ação . . .  . AMY JORDAN

DALE CANNON

JOHN GILBERT

GREGG BRAZZEL

DALE FRYE

TED LARKIN

DAVID PAUL LORD

LONNIE R. SMITH

Pilotos de Helicóptero. . .. . . . . . .AL GUTHERY

Banda no Casamento . . JEFFREY M. IGNATOFF

ROYCE JOHNSON

LEWIS W. KRAUS CHRISTOPHER D. MILLER

THOMAS D. OLSON

ROBERT J. PARED

DAVID B. TRAIN

Vozes de ADR

ASHLEY BELL                    JON BRUNO

JUNE CHRISTOPHER       DAVID COWGILL

TERRI DOUGLAS               EDDIE FRIERSON

JACKIE GONNEAU            BRIDGET HOFFMAN

DAVID KAZ HELAINE        JO LEMBECK

PAT LENTZ                          MARCELLA LENTZ-POPE

ANNE LOCKHART             MICHAL MARKS

SCOTT MENVILLE             PAUL PAPE

ASHLEY PRATHER            LYNWOOD ROBINSON

PEPPER SWEENEY          SHANE SWEET

PATTI TROISI

Supervisor de produção .CHRISTA VAUSBINDER

Diretor de Arte . . . . . . . . . . . .SCOTT MEEHAN

Decorador no Set JAMES EDWARD FERRELL, JR.

Continuista .  . . . . . . . . . . . . . . . . . BOB SMITH

Sup. de Guarda-Roupa . . . . RICHARD SCHOEN

Chefe de Guarda-Roupa. DEBORAH BINKLEY

Camareira no Set. . . . .GINGER KNUSSMANN

Camareira no Set. . . . . . . . . . JESS JOHNSON

Chefe do Depto. de Cabeleireiro..JOHN R.BAYLESS

Maquiador-Chefe . . . . . . . . . JULIE CALLIHAN

Maquiador da sra. Cyrus. . . . . JULIE HEWETT

Chefe do Depto. de Cabeleireiro ..PATRICIA GLASSER

Cabeleireira-Chefe . . . .BETTY LOU SKINNER

Cabeleireira do sra. Cyrus ..TENA PARKER BAKER

Operador de Câmera/Steadicam.LAWRENCE KARMAN

Operador de Câmera . . . . . . . . . . . . .TED CHU

1º. Assistente de Câmera .. LEE BLASINGAME

SEAN MOE

2ºs. Assists. de Câmera. .. . . JERRY PATTON

ROSS DAVIS

Video Assist . . . CHARLES “CHAZ” LAUGHON

Video Assist Adicional. . .MASON DONNAHOE

Supervisor de Roteiro . . . . . TRACY L. SCOTT

Mixagem de Som…..JONATHAN GAYNOR, C.A.S.

Engenheiro de Som . . . . . . . . . TIM CARGIOLI

2º. Engenheiro de Som . .  JAMES PETERSON

Gerente de Locação . . . . . .. BASS HAMPTON

Assist. Gerente de Locação . .THOMAS G. PARRIS

RACHAEL TARTELL

Assistentes de Locação .. ANDREW S. PATTERSON

Gerente de Meio ambiente . ERIN T. MCLAUGHLIN

Sup. de Pós-Produção …..JAYNE ARMSTRONG

Coord. de Pós-Produção . . . .CHRIS GAIMAN

Montadora . . . . . . JANICE HAMPTON, A.C.E.

1º. Assist. de Montagem . ALAN Z. MCCURDY

Assist. de Montagem. . . . . . . BRIAN SPIRNAK

Assist. de Pós-Produção .. . . . . .DREW SMITH

Sup. de Mixagem de Som. ROBERT L. SEPHTON

RANDLE AKERSON

Mixagem de Regravação . . . TERRY PORTER

DEAN ZUPANCIC

Sup. Assistente  . . . . . . . . .F. SCOTT TAYLOR

Mixagem de Som FX. . . . F. HUDSON MILLER

DON MALOUF

Supervisor de

Diálogos/ADR …….. ELIZA POLLACK ZEBERT

Editores de

Diálogos/ADR .KIMBERLY MCCORD-WILSON

VAL KUKLOWSKY

SUSAN KURTZ

Mixagem de ADR . . . . . . . . . . . . . . DOC KANE

Gravação de ADR . . . JEANETTE BROWNING

Supervisor de Sonoplastia . . . .MARK PAPPAS

Sonoplastas . . . . . . . . . . . . . DAN O’CONNELL JOHN CUCCI

Mixagem de Sonoplastia . . . . .  JIM ASHWELL

Elenco ADR . . . . . . . . . . .  . . . . Gangue LOOP

Regravado no . . . . . BUENA VISTA SOUND

Eletricista-chefe . . . . .TOMMY RAY SULLIVAN

Eletricista Assistente . . . . MICHAEL A. JONES

Eletricistas . . . . . . . . . . . . . . . . MATT MALLOY

CRISTIANO PALERMI

GREG TAYLOR

JACK VOLLERS

Maquinista-Chefe . . . .LOGAN R. BERKSHIRE

Estafeta de Maquinista .  HENRY E. EZZELL III

Maquinista de Dolly . . . . . . . . . . SCOTT FRYE

DAVID SPENCER

Maquinistas . . . . .CHRIS “BAREFOOT” ALLEN

BRIAN JOHNSTON

RITCHIE NANNINI

STEPHEN MILLS

BILL PARKS

Aderecista-Chefe . . . .  . . . . . JOHN SANDERS

Assist. Aderecista-Chefe . WALTER S. KIESLING

MICHAEL DEAN KIESLING

Coord. de Efeitos Especiais . . WILL PURCELL

Capataz de Efeitos Especiais . . . . DAVID HILL

Coordenador de Produção . . .. JOHN B. WEST

Assist. Coord. de Produção .. . .CHRIS MENKE

2o. 2o. Assist. de Direção. . .GAVIN KLEINTOP

2o Diretor Assistente Adicional . . BECKY CHIN

Assists de Adam Shankman JIMMY BADSTIBNER

SUNJA KNAPP

Assistente de Jennifer Gibgot  TOM KULJURGIS

Assistentes dos produtores-Georgia   . . . . . . . . . . KATHERINE SEGOVIS

Assist. de Dara Weintraub ….JIMMY PEMBER

Assist. de Julie Anne Robinson .MIKE MANITTA

ALEXIS TREADWELL-MURRAY

Assistente de Miley Cyrus  . . . . . TINA JONES

Assistente de Greg Kinnear DEMERE MEEKER

Decoradores de Cenários . . . .  PAUL SONSKI

BRIAN BAKER

Artista de Storyboard .  JONATHAN GESINSKI

Coord. Depto de Arte.. . DANIELLE COUTURE

Assistente de Produção do Depto. de Arte . . . . . . . .  . . . . . . . . . . . . DUSTIN BERRY

Capataz do Depto . .. . . . JEFFREY SCHLATTER

Capataz de Construção .  . . . . . . . MIKE RYAN

Responsável

pela Arte Cênica . .  . . . . . . . PAUL W. OLIVER

Capataz Cênico . . . . . . . . . .JAMES F. ONATE

Pintor Substituto . . . . . . BARBARA SEINFELD

Paisagista-Chefe . . . . . . . . C. DAVID BECTON

Paisagistas . . . . . . . . . . . . .SONYA J. DUVALL

Paisagistas Substitutos . . . . . .  MARTY SMITH

Secretária de Produção . . . . . .. . . LEE FUTCH

Assist. do Escritório

de Produção . . . . . . . .MATTHEW M. MAHANY

ROBERT MCLEAN

ROBERTO FUERTES

ZACHARIAH KARATASSOS

Assistentes de

Produção no Set . . . . . . . . .MICHELE CUSICK

RYAN “FLASH” BENNETT

CLINT BUCKNER

GENE M. SMITH

JUSTIN M. TRIMM

Instrutores do Estúdio. . . . . . . .  LINDA STONE

STEVE ELSTER

Técnicos de Dialética . . . . .MICHAEL BUSTER

Professores de Piano . . . . . . . KELLI HORTON

GRANT TASKERUD

MARGIE BALTER

Substituto de  Miley Cyrus . . . JESSICA TURRI

Contador de Produção . . . . . MIKE JOHNSON

1o. Assistente Contador . . . JOANNA SPEARS

2o. Assistente Contador  . DANIEL GONZALEZ

Folha de Pagamento . . . . . . . . . .TANIA LEVIN

Contador de Pós-Produção  MARNICE WOLFE

Assessora de Imprensa . . .  RACHEL ABERLY

Fotógrafo de Produção . . . .. . SAM EMERSON

Coordenador de Transportes .  . BOB FOSTER

Capitão de Transporte .. ROBERT BRUBAKER

Cocapitão . . . . . . . . . . . RANDY SOUTHERLAND

Conformidade Depto.

de Transp. . . . . . . . .KRISTINE GOLASHESKY

Locação – Elenco. . . . . JACKIE BURCH, C.S.A.

Associado de Elenco

L. Angeles. . . . . . . . . . . . . . . . KATE CALDWELL

Associado de Elenco

Nova York . . . . . . . . . . . . . .JANDIZ ESTRADA

Assistente de Elenco

em Locação . . . . . . . . . . . . . . . . TIM DONNER

Elenco de Figurantes . . .. . PATRICK INGRAM/

EXTRAS CASTING ATLANTA LLC

Animais Fornecidos por .  . . . . .

BIRDS & ANIMALS UNLIMITED

Primeiros Socorros e Enfermeiros. . . . .

KEVIN STEPHENS RN

Chefe dos Serviços

Artesanais . . . . . . . . . . . . . REVA GRANTHAM

Alimentação . . . . . . . . . . . .. . . . . . . TOMKATS

Edição Musical . . . . . . . . . . . . . SALLY BOLDT

Assistente de Edição Musical. . . GREG VINES

Mixagem de . . . . . . . . . . . . . . DENNIS SANDS

Trilha Sonora

Gravada no . . . . . . . .SONY SCORING STAGE

Trilha Sonora Adicional Gravada

e Mixagem por . . . . . .  . . . . . . . . MICK STERN

Orquestração de . . . . . . . . . . . . . JERRY HEY

BRAD WARNAAR

AARON ZIGMAN

Operador de Mesa Digital. . . ADAM OLMSTED

Contratadores de Orquestra . PETER ROTTER

& SANDY DECRESCENT

Preparação Musical .  . . . . . . . STEVE JULIANI

Mixagem de Som

da Produção . . . .  . . . . . . . . .JOSEPH MAGEE

Internegativo Digital &

Ópticos de . . . . . . . . DELUXE DIGITAL MEDIA

Colorização de Internegativo

Digital  . . . . . . . . . . . . . . . .KEVIN O’CONNOR

Internegativo Digital

Produtor . . . . . . . . . . . . LAURA GEUCHERIAN

Internegativo Digital

Montador . . . . . . . . . . . . . THOM WHITEHEAD

Pré-visualização Digital

Colorista . . . . . . . . . . . FAUST PIERFEDERICI

Assistente de Edição

Digital . . . . . . . . . . . . . . . . . .KEITH MAHONEY

Data Wranglers . . . . . . . . . .  . ERIC HOSKINS

RYAN GLADDEN

Títulos Principal e Final

Sequências de  . . . . . . . . . . . . PICTURE MILL

Ajuste de Cores . . . . . . . . . .. . . . JIM PASSON

Diretor de Fotografia Aérea

Fotografia . . . . . . . . . . . . . . . PHIL PASTUHOV

Técnico de SpaceCam . . . . . .ANDREW SYCH

Diretor Subaquático

de Fotografia . . . . . . . . . . . . . .PETE ROMANO

Efeitos Visuais

de . . . . . . . . . .CIS VISUAL EFFECTS GROUP

Supervisor de Efeitos Visuais . .. . JOE HENKE

Produtor de Efeitos Visuais .DAVID VAN DYKE

Supervisor de Composição . . . . KAMA MOIHA

Artistas CG . . . . . . . . . . . . .CHARLIE WINTER

CANÇOES

“Tyrant”

Escrita por Andrew Brown,

Zachary Filkins e Ryan Tedder

Interpretada por OneRepublic

Cortesia de Interscope Records

Sob Licença de Universal Music Enterprises

“Graveyard Girl”

Escrita por Anthony Gonzalez

e Yann Gonzalez

Interpretada por M83

Cortesia de EMI Music France/Astralwerks

Através de licença de

EMI Film & Television Music

“Carnival Lights”

Escrita e interpretada por

Tracey James Marino e Vance Marino

Cortesia de Music Supervisor Inc.

“Dirt Road”

Escrita e Interpretada por Niklas Aman

Cortesia de Freeplay Music, LLC

“At The Fairground”

Escrita e interpretada por

Steven Cairn e Richard Johnson

Cortesia de Opus 1 Music

“This Is Now”

Escrita e Interpretada por Frederick Grant III

Cortesia de Selectracks

“A Different Side of Me”

Escrita por Nathan Darmody,

Zachary Porter e Thomas Norris

Interpretada por Allstar Weekend

Cortesia de Hollywood Records Inc.

“I Disappear”

Escrita por Clark Baechle, Todd Fink,

Michael Dappen, Joel Petersen e Jacob Thiele

Interpretada por The Faint

Cortesia de Saddle Creek Records

“Night Racer”

Escrita por Jean-Michael Haye

e Pierre Sylvoz

Cortesia de FirstCom Music

“Heart Of Stone”

Escrita por Sune Rose Wagner

Interpretada por The Raveonettes

Cortesia de Vice Records

“Brooklyn Blurs”

Escrita por Alex Wong e Devon Copley

Interpretada por The Paper Raincoat

Cortesia de The Paper Raincoat Company

Através de Acordo com Secret Road Music

Services, Inc.

“Broke Down Hearted Wonderland”

Escrita por Edwin McCain, Maia Sharp,

Pete Riley e Kevin Kinney

Interpretada por Edwin McCain

“No Matter What”

Escrita por Sydnee Duran e Dave Bassett

Interpretada por Valora

Cortesia de Hollywood Records Inc.

“New Morning”

Escrita por Casey McPherson

Interpretada por Alpha Rev

Cortesia de Hollywood Records Inc.

“Shut Your Eyes”

Escrita por Nathan Connolly,

Gary Lightbody, Jonathan Graham Quinn,

Tom Simpson e Paul Wilson

Interpretada por Snow Patrol

Cortesia de Polydor Ltd. (Reino Unido)/

Interscope Records

Através de licença de

Universal Music Enterprises

“Setting Sun”

Escrita por Finlay Beaton,

Stuart Macleod e Joel Quartermain

Interpretada por Eskimo Joe

Cortesia de Rykodisc/Warner Music Australia

através de acordo com

Warner Music Group Film & TV Licensing

“Bring On The Comets”

Escrita por Mark Guidry, Mark Palgy

e Craig Pfunder

Interpretada por VHS Or Beta

Cortesia de Astralwerks

Através de licença de

EMI Film & Television Music

“She Will Be Loved”

Escrita por Jesse Carmichael,

Ryan Dusick, Adam Levine,

Michael Madden e James Valentine

Interpretada por Maroon 5

Cortesia de A&M/Octone Records

Através de licença de

Universal Music Enterprises

“Can You Tell”

Escrita por Milo Bonacci, Alexandra Lawn,

Wesley Miles, John Pike,

Mathieu Santos e Rebecca Zeller

Interpretada por Ra Ra Riot

Cortesia de Barsuk Records

Através de acordo com Bank Robber Music

“When I Look At You”

Escrita por John Shanks e Hillary Lindsey

Produzida por John Shanks

Interpretada por Miley Cyrus

Cortesia de Hollywood Records Inc.

“Berlin”

Escrita por Peter Hayes e Robert Been

Interpretada por Black Rebel Motorcycle Club

Cortesia de The RCA Records Label

e The RCA/Jive Label Group

uma unidade da Sony Music Entertainment

Através de Acordo com Sony Music Licensing

Cortesia da Universal Island Records Ltd.

Através de licença de

Universal Music Enterprises

“Down The Line”

Escrita e Interpretada por José González

Cortesia de Imperial Recordings sob

Licença exclusiva de Mute Corporation

Através de licença de

EMI Film & Television Music

“I Feel It All”

Escrita por Leslie Feist

Interpretada por Feist

Cortesia de Universal International Music,

B.V./Interscope Records

Através de licença de

Universal Music Enterprises

“Canteen Swing”

Escrita e Interpretada por Harold Lester

Cortesia de Manhattan Production Music

“Each Coming Night”

Escrita por Sam Beam

Interpretada por Iron & Wine

Cortesia de Sub Pop Records

“I Hope You Find It”

Escrita por Jeffrey Steele e Steven Robson

Produzida por John Shanks

Interpretada por Miley Cyrus

Cortesia de Hollywood Records Inc.

“Steve’s Theme”

Composta por Aaron Zigman

Trilha Sonora disponível

pela Hollywood Records

A American Humane Association monitorou a ação animal.

Nenhum animal foi ferido. (AHAD 01686)

Os Produtores Gostariam de Agradecer:

Wormsloe Institute for Environmental History

Georgia Department of Natural Resources

Chatham County Public Works

and Park Services

Government and Citizens of

Tybee Island Georgia

City Manager of Tybee Island

Tybee Island Police Department

and Lt. William Moseley

Tybee Island Fire Department

Mark G. Dodd,

Georgia Sea Turtle Program Coordinator

Savannah Film Commission

Agradecimentos Especiais a

The Georgia Film, Music &

Digital Entertainment Office,

a Division of the Georgia Department

of Economic Development

Colorido por

DELUXE®

Cópias domésticas de

DELUXE®

Cópias internacionais de

TECHNICOLOR®

Câmeras e Lentes Fornecidas por

KESLOW CAMERA, INC.

Guindastes e Equipamentos Elétricos Fornecidos por

CINELEASE, INC.

Gruas de Câmera de

CHAPMAN / LEONARD

STUDIO EQUIPMENT, INC.

Câmeras Aéreas Fornecdias por

SPACECAM SYSTEMS, INC.

Equipamentos Fornecidos por

PANAVISION REMOTE SYSTEMS

MPAA #45717

Copyright ©2010 Touchstone Pictures

Todos os Direitos Reservados.

Para questões das leis de

copryright do Reino Unido

Disney Enterprises, Inc. tornou-se proprietária

do copyright deste filme imediatamente

após sua conclusão.

Distribuído por

WALT DISNEY PICTURES

MOTION PICTURES

A ÚLTIMA MÚSICA

(THE LAST SONG)

 

Por

Tags: , , , ,

border= border=

22 Comments

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Disney Mania, Disney Mania. Disney Mania said: Confira simplesmente tudo sobre o filme estrelando Miley Cyrus "A Última Música"! http://bit.ly/cQl9BD (Esse "tudo sobre" já é um clássico!) […]

     
  2. JA_Junior (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    A crítica estadunidense massacrou a atuação da Miley Cyrus neste filme. Muita gente ficou com o pé atrás para assisti-lo. Como não simpatizo muito com o gênero, não sei se vou conferir.

     
  3. Gustavo (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    Sabe, eu amo a Miley Cyrus, e a história do filme parece ser emocionante. Independente da atuação dela, tenho que assistir.

     
  4. ana (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    babyyyyyyyyy

     
  5. Gustavo (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    Sabe, eu amo a Miley Cyrus, e a história do filme parece ser emocionante. Independente da atuação dela, tenho que assistir.

     
  6. alexandre (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    aaaaaaa eu to louco pra ver A ULTIMA MÚSICA e com a Miley Cyrus eu amo ela e eu amo as musicas I Hope You Find It e When i Look at You

     
  7. Leonor Magalhães (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    estou louca pra assistir o filme

    Já me emocionei lendo o livro,

    não vejo a hora!

     
  8. Lininha (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    Pow eu li o livro inteirinho , e muito emocionate. Teve ate umas partes no livro que tinha bastante graça e eu cai na gargalhada kkkk , mas teve tambem partes emocionates , como quando a Ronnie soube quando seu pai estava com um cancêr no estomago e ela ficou com o seu pai para ajuda-lo eu comecei a chorar foi muito emocionate e triste ao mesmo tempo. E o Will o namorado dela super gatOooo’ mas no final eles ficam juntos Amém! . ;)

     
    • miley forever (Reply) on sexta-feira 30, 2010

      tbm li o livro foi uma historia linda e emocionante e amei o filme

       
  9. jessica (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    add a minha comunidade do filme a ultima musica http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=105941

     
  10. joice miley cyrus (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    o amo e muito lindo para todos mundo e e verdade jaè por e para o pais

     
  11. steffane dos santos (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    eu tenho o filme ele maravilhoso parabens miley cyrus

     
  12. kelly (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    amo a miley cyrus

     
  13. ana vitoria (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    eu amo a miley e vi o filme e ótimo ñ so pq e ela que faz mas pq

    e perfeito ela e o lian formam um lindo casal

    o filme é emocionante,triste pq o pai dela morre

    mas e muito bom

     
  14. Vivi (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    Liindo,lindo,lindo…Amei este filme…

     
  15. camila (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    lindo filme.

     
  16. amanda miley cyrus (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    gente eu amo a miley de verdade sinto qe sem ela minha vida nao e nada sinto qe sem as musicas dela meus pensamentos param sito qe sem os fans dela ela nao seria nada

     
  17. luckbell (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    um otimo filme sem palavras pr falar algo muito bom mas sempre no fim tem seu final feliz!!esse filme nao mas sim e fora isso e tudo de bom “miley cyrus”te adoro

     
  18. daiana (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    eu amei o filme e lindo emocionante a miley esta mais linda do que nunca 1000000 amei

     
  19. stefanie (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    eu amei este filme muito legal !!!!!!!!!!!! me emocionei mais é lindo

     
  20. taynara (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    Eu amooooooooooooooooo esse filmeee !! quando eu vejo esse filme eu choroo de tao lindo que éé kk' =DD

     
  21. vitoria (Reply) on sexta-feira 30, 2010

    ammmmmmo muito a miley cirus

     

Leave a Comment

Banner