Dezesseis fatos curiosos sobre “Frozen”


Destaques, Frozen

 

Restando menos de uma semana para a estreia nacional de “Frozen: Uma Aventura Congelante”, reunimos algumas curiosidades a respeito da quinquagésima-terceira produção do Walt Disney Animation Studios.

Livremente inspirada no conto “A Rainha da Neve”, de Hans Christian Andersen, o longa-metragem acompanha a trajetória de Anna (Kristen Bell) para reencontrar sua irmã Elsa (Idina Menzel) e libertar o reino de Arendelle de um inverno eterno.

Juntam-se a ela nessa procura o boneco de neve Olaf (Josh Gad), o montanhês Kristoff (Jonathan Groff) e sua rena de estimação, Sven. A animação chega, em 03 de Janeiro de 2014, para congelar os cinemas do Brasil.

 

 

Curiosidades

 

“Espera, o quê?” – Essa, que é uma das frases favoritas da personagem Anna, foi adicionada ao roteiro do filme como uma contribuição da atriz Kristen Bell.

Diversão Pura – Quando a equipe de história estava desenvolvendo o personagem de Olaf, as possibilidades eram infinitas. Foi quando eles perguntaram, “Como um homem da neve pensaria?” que eles descobriram como Olaf seria: puro, simples e inocente. Seu humor tem origem na forma simples como ele pensa.

 

 

Tão Sami – O personagem de Kristoff foi amplamente influenciado pelo povo Sami, que são nativos do norte da Noruega.

  • Os Sami são conhecidos por criar renas, o que pode explicar por que o melhor amigo de Kristoff é uma rena chamada Sven. Os cineastas visitaram um negócio de pecuária de renas cujos donos eram Sami em Roros, na Noruega.
  • Em um certo ponto, os cineastas chamaram a rena de Thor, mas depois mudaram de ideia por conta da súbita popularidade do nome na empresa.

É um Limão – O cavalo de Hans, que impede que Anna caia na água antes da coroação, tem um nome: Sitron, que significa “limão” em norueguês.

 

 

Sem Chance – O diretor de arte Mike Giaimo e sua equipe viajaram até a Noruega para entrar na atmosfera, verificar a arquitetura, pesquisar a cultura local e se inspirar dentro do ambiente do reino fictício de Arendelle. Usando carros, trens e barcos eles visitaram fortalezas, castelos, lojas de museus, catedrais, fiordes e glaciais.

  • Para conseguir ideias para o castelo de Arendelle, a equipe visitou o castelo medieval Akershus em Oslo, e a cidade do Palácio Real de Trondheim’s Stiftsgården, uma das maiores estruturas de madeira construídas na Escandinávia, que custou quase 9 milhões de libras para ser construída em 1778.
  • Os artistas fizeram passeios de barco no Geirangerfjord e Sognefjord que, com 205 quilômetros, é o maior fiorde na Noruega (e o terceiro mais longo do mundo). Os fiordes são um espetáculo muito conhecido na paisagem norueguesa. Na verdade, o Geirangerfjord e o Nærøyfjord estão na lista de patrimônios mundiais da UNESCO.

Vai Fundo – Animadores e artistas de efeitos especiais foram até Jackson Hole, Wyoming, para ver a neve profunda de perto. Eles usaram vários trajes — inclusive camisas longas — para capturar o impacto criado quando caminhavam e como a neve interagia com as roupas.

 

 

Dia da Rena – Os cineastas levaram uma rena de verdade ao Estúdio Walt Disney Animation para observar o aspecto físico do animal e suas características que, mais tarde, foram usados de modo caricato para compor a rena Sven, amiga de Kristoff.

  • A rena usava uma técnica inesperada para coçar a orelha: ela usava as pernas de trás — como um cachorro faria. Sven depois adotou a técnica.
  • Bem adaptada à neve e ao frio, as renas são capazes de abaixar a temperatura das pernas a níveis quase congelantes, para manter o calor interno do corpo uniforme em temperaturas extremas. Elas também são surpreendentemente velozes; um filhote de rena pode facilmente ultrapassar um homem numa corrida, o que explica por que Kristoff conta com Sven quando precisa encontrar Anna rapidamente.

Casa de Gelo – Vários integrantes da equipe de produção viajaram para Quebec para ver o Ice Hotel e se inspirar para o palácio de gelo de Elsa mostrado em “Frozen: Uma Aventura Congelante”. Embora os artistas tenham ficado inspirados e deslumbrados com a arquitetura em gelo, nenhum deles quis passar a noite naquele lugar gelado.

 

 

Deixa Nevar – Em um esforço para aperfeiçoar a mágica gelada de Elsa, os cineastas chamaram o dr. Thomas Painter, um cientista do Jet Propulsion Laboratory em Pasadena, conhecido como “Dr. Snow”, para aprenderem sobre flocos de neve em nível molecular.

  • Oitenta por cento da água doce da Terra está congelada sob a forma de gelo ou neve. A neve é incolor e límpida, mas a luz refletida uniformemente nos cristais dos flocos de gelo lhe dá uma aparência branca.
  • Embora o eterno inverno que subitamente atinge Arendelle provavelmente rivalize com qualquer recorde de neve, o maior recorde para um dia de nevasca foi de 1,92 metro em Silver Lake, Colorado, em 1921. Supõe-se que atingiu números mais altos em áreas mais remotas, mas ninguém estava perto para registrá-los.

Isso soa bem – Para apimentar o roteiro com palavras autênticas, sotaques e frases norueguesas, os cineastas chamaram Jackson Crawford, que leciona idioma nórdico antigo, mitologia escandinava, vikings e sagas na UCLA. Sua pesquisa foca na história nórdica antiga e Noruega.

  • O filme também apresenta chamadas de pastoreio autênticas norueguesas, uma chamada de pastoreio melódica utilizada por fazendeiros para reunir cabras e carneiros dos pastos na montanha. A cantora nascida na Noruega e aspirante compositora de cinema Christine Hals foi chamada para interpretar os vocais distintos no filme.

 

 

Mais do que especial – Em média, filmes de animação apresentam efeitos especiais em cerca de 45 por cento das cenas. Contudo, já que a maior parte de “Frozen: Uma Aventura Congelante” se passa em meio a tempestades de inverno — e neve e gelo são considerados efeitos especiais — o longa-metragem pode ser considerado extra — quase inteiramente — especial.

É uma longa história – A cena em que Elsa sai para uma varanda em seu recém-construído palácio de gelo tem a duração de 218 quadros, e inclui o mais longo enquadramento do filme renderizado. Um único quadro levou mais de 132 horas para ser renderizado (isso significa mais de cinco dias).

Glamour norueguês – O diretor de arte Mike Giamo mistura roupas tradicionais folclóricas norueguesas com o estilo Hollywood antigo e usa uma paleta de cores ousada para criar um visual único para os figurinos.

 

 

Os Penteados — Para compor o visual de Elsa assim que ela foge do reino, os cineastas convidaram o famoso cabeleireiro Danilo para ir ao estúdio em Burbank testar vários penteados e capturar a ousadia recém-encontrada de Elsa.

Tudo se transforma em rosas – O rosemaling, um estilo tradicional de arte decorativa que permeia a história da Noruega, aparece ao longo do filme — nas roupas, na arquitetura e até mesmo na magia de Elsa e em suas criações de gelo.

DING! – Durante a exibição das cenas de animação do dia, os animadores se sentavam em uma cadeira vermelha e “quente” e apresentavam suas cenas aos diretores para saber a opinião deles. Se os diretores ficassem satisfeitos e não tivessem nenhuma observação, eles tocavam um sino — aprovado!— e todos aplaudiam.

 

“Quando tudo estiver congelado…”:

Em “Frozen: Uma Aventura Congelante”, uma profecia aprisiona um reino no inverno eterno, assim Anna (voz de Kristen Bell) deve juntar-se a Kristoff, um ousado homem da montanha, na maior de todas as jornadas para encontrar a Rainha da Neve (Idina Menzel) e acabar com o feitiço gelado. Encontrando situações extremas, criaturas místicas e mágicas a cada passo, Anna e Kristoff guerreiam contra os elementos em uma corrida para salvar o reino da destruição.

 

Por

Tags: , , , , , , , , , ,

border= border=

8 Comments

  1. rodrigo duarte (Reply) on sábado 28, 2013

    Vou ler este post só depois de ver o filme, mas ainda assim acho os desenhos a lápis mais legais que os digitais, o site tá bem bacana de cara nova.

     
    • Camila Duarte (Reply) on sábado 28, 2013

      Também acho concordo total mente mais desenho digital também é bom mais prefiro a lápis também ;)

       
  2. Dipper Pines (Reply) on sábado 28, 2013

    Eu assisti, achei muito legal porém na minha humilde opinião, só mais um filme de princesa da Disney cujo o nome foi mudado para que os garotos possam assistir, mas foi muito bem elaborado e com uma história ótima, com personagens incríveis e com um climax de matar. Eu gostei muito!

     
    • Erika (Reply) on sábado 28, 2013

      To impressionada com esse comentário! Me encantei por essa animação EXATAMENTE POR NÃO SER MAIS UM FILME DE PRINCESA DISNEY…. Até comentei no meu face… que essa animação, apesar de ser da Disney, veio desmistificar esse "mundo de faz de conta" que ela mesmo criou. Primeiro que mostra claramente que amor verdadeiro não necessariamente tem que ser entre homem e mulher (um belo choque de realidade)… Mostra também que não devemos nos iludir por um par que parece ser aparentemente perfeito. O verdadeiro amor só aparece com a convivência do dia a dia, conforme conhecemos aos poucos o outro. Aquele príncipe que aparece na sua vida pode se mostrar um belo de um safado! Fica a dica de uma bela história pra assistir e também de importante e belos ensinamentos… um conto de fadas da vida moderna.

       
  3. Diego B. (Reply) on sábado 28, 2013

    Filme simplesmente LINDO e emocionante… Só não é mais perfeito, por não ser em 2D!
    Realmente não esperava algo tão bom, após a decepção com Tangled e com o POPissímo (datado e marketeiro) Detona Ralph.
    Trilha linda, visual deslumbrante e roteiro ÓTIMO. Espero que esse seja um "novo" retorno aos clássicos Disney, afinal lembra e muito os filmes das eras de ouro (40/90) e pode facilmente ficar juntinho com eles. :D
    Farei como em A Princesa e O Sapo e assistirei pelo menos mais 3 vezes no cinema! *-*

     
  4. yurinekel (Reply) on sábado 28, 2013

    Eeeee, eu finalmente assisti. É simplesmente fantástico, as músicas são perfeitas, a história, e os personagens são todos incríveis, eu só gostaria de poder ter visto um pouco mais da Elsa, e eu também acho que o Hans merecia um pouco mais de destaque, eu gostaria de saber mais sobre o passado dele, ou talvez eu só esteja falando isso porque eles dois foram os meus personagens preferidos, e talvez os mais bem desenvolvidos. E quanto ao Olaf, eu acho que ele foi meio necessário, já que o filme tem muita carga emocional. E até mesmo a dublagem do Fabio Porchat estava boa (Eu nem sequer sabia que ele podia cantar). O final foi meio fraco mais com aquela história eu nem liguei. Eu só não gostei da "grande reviravolta", mas de resto, é tudo ótimo. Frozen é visualmente fantástico.
    Conclusão: O filme não é o melhor filme desde A Bela e a Fera, mas, do mesmo jeito que Enrolados e Detona Ralph foram A Pequena Sereia desta geração, Frozen é a Bela e a Fera desta geração.
    Nota final: 9.5/10.

    E o mais estranho foi que eu fiquei até o fim dos créditos apenas para poder ver a cena pós-créditos. Todo mundo já tinha saído e os funcionários já estavam limpando, mas a cena foi ótima.

     
  5. Lukas Gabryell (Reply) on sábado 28, 2013

    poxa vou ser sincero com voces adorei o filme melhor personagem de todos(Olaf e Sven) mandaram roteiro muito show texto d+ parabéns….. :-)

     
  6. rayane (Reply) on sábado 28, 2013

    Eu não queria ver o filme … porém acabei assistindo e gostei de mais !!! Eu amei frozen

     

Leave a Comment

Banner